Checklist de viagem: Tudo o que precisas de fazer e tratar antes de partires à aventura ✈️✔️

  • 10.08.2023 21:10
  • Bruno A.

Seja para viagens de longa duração/distância ou para a tradicional escapadinha de fim-de-semana, deixamos-te abaixo uma checklist de viagem com tudo o que precisas de fazer e tratar antes de dares início à tua aventura.

Queres receber notificações acerca de novas ofertas?

Regista-te e decide a frequência de envio. Não vamos enviar spam!

Não há nada pior que ter os nossos ricos dias de férias meticulosamente programados, embarcar no avião e chegar ao destino, apenas para perceber que nos esquecemos de algo importante. E aqui, falo não só de algo puramente físico que te possas ter esquecido de acondicionar na tua mala, mas também de certos procedimentos (burocráticos ou de saúde, por exemplo) cuja falta pode ter consequências nefastas para o sucesso da tua viagem.

Soa dramático, mas estamos aqui para ajudar! Seja para viagens de longa duração/distância ou para a tradicional escapadinha de fim-de-semana, deixamos-te abaixo uma checklist de viagem com tudo o que precisas de fazer e tratar antes de dares início à tua aventura! Para facilitar a organização do conteúdo, fizemos ainda questão de dividir cada vertente em subcategorias, para que possas tratar de todos os pendentes relacionados com a mesma temática de uma vez só.

Download da checklist simplificada:

Podes fazer download de uma versão simplificada da nossa checklist em PDF para impressão aqui ou em formato PDF interativo é possível selecionares as opções diretamente no teu computador, telefone ou tablet aqui

Checklist de Viagem

Burocracia e Documentação

Documentos necessários para a viagem

Esta aqui deveria ser óbvia, mas ficarias surpreendido com a quantidade de viajantes que não se dá sequer ao trabalho de consultar a documentação necessária para entrar no seu país de destino. Talvez seja a habituação à realidade das fronteiras abertas do Espaço Schengen, mas a verdade é que nem todos os países te permitem acesso ao seu território apenas munido do teu Cartão de Cidadão.

Para esses, a apresentação de passaporte é condição obrigatória (sempre com 6 meses de validade após data de chegada), existindo ainda vários destinos que te obrigam à obtenção de um visto, seja ele gratuito ou pago, que pode ser obtido à chegada, online ou tratado antecipadamente com uma visita presencial à embaixada/consulado.

Para aquele grupo restrito de leitores que está a programar viagens de longa duração e onde os planos são mais fluídos, tenham igualmente em atenção que alguns países exigem a apresentação de algo que comprove que sairás do seu território. Pode ser um bilhete de autocarro ou uma passagem de avião. Contudo, se ainda não sabes quanto tempo ficarás no destino e pretendes manter a tua agenda em aberto, podes sempre recorrer ao Onward Ticket, um website que te permite completar uma reserva oficial de um voo, válida para qualquer serviço de imigração, a partir de 15,00€.

Licença Internacional de Condução

Se vais viajar para fora da EU e estás a planear alugar carro, tem em atenção que pode ser exigida a apresentar uma Licença Internacional de Condução. Dependendo dos países e da dimensão das empresas de rent-a-car, esta obrigatoriedade pode, ou não, ser aplicada.

Para obteres esta licença, deverás deslocar-te a um balcão do IMT e apresentar a tua carta de condução, cartão de cidadão, duas fotografias tipo passe e preencher um formulário que te será dado pela instituição. De seguida, é só pagar 30,00€ e terás a tua licença – que será válida por 6 meses – no espaço de minutos. Simples e fácil!

Fazer cópias físicas e digitais de toda a tua documentação oficial

Escusado será dizer que, quando em viagem, é de extrema importância que garantas a segurança de todos os teus documentos de identificação. Salvo raríssimas excepções, a esmagadora maioria dos países não exige que te faças acompanhar a toda a hora dos teus documentos oficiais.

Como tal, e até para salvaguardares algum acidente, deverás sempre tirar cópias físicas e digitais dos mesmos. Assim, poderás deixar os originais no cofre do hotel, e fazer-te acompanhar das cópias no teu dia-a-dia.

Recomendado: Vais viajar e tens o Passaporte ou Cartão de Cidadão caducado ou perdido? Vê aqui o que podes fazer

Saúde

Consulta do Viajante

Válido para deslocações para fora da Europa, especialmente para destinos tropicais ou com histórico recente de surtos de determinadas doenças, agendar uma consulta do viajante é absolutamente essencial. De acordo com o teu destino e as recomendações oficiais da OMS, o médico-clínico irá ditar quais as vacinas necessárias, se há ou não necessidade de fazer profilaxia da malária, e ainda providenciar uma série de outros conselhos úteis relativamente a alimentação, vestuário, medicação e cuidados com a pele.

Podes marcar a tua consulta através do SNS (Norte + Lisboa e Vale do Tejo), num gabinete/hospital privado ou até mesmo com um prestador online. Caso optes pela última opção, aconselhamos a Consulta do Viajante Online. Insere o código flamingo para teres 5% de desconto em consultas para 2 ou mais pessoas.

Apresentação de boletim de vacinação no destino

Se é verdade que as tomas de vacinas são maioritariamente recomendações, existem destinos onde é efectivamente obrigatório apresentares algum tipo de comprovativo para inoculações específicas. Por exemplo, em África, quase 20 países exigem a apresentação de certificado de vacinação contra a febre amarela.

Posto isto, recomendamos que te informes acerca da obrigatoriedade de vacinações específicas para o teu país de destino, sendo que, após as inoculações, deverás assegurar-te de que não te esqueces do teu Boletim de Vacinas Internacional, que te será dado no final da tua consulta do viajante.

Vacinações obrigatórias

Se é verdade que as tomas de vacinas são maioritariamente recomendações, existem destinos onde é efectivamente obrigatório apresentares algum tipo de comprovativo para inoculações específicas. Por exemplo, em África, quase 20 países exigem a apresentação de certificado de vacinação contra a febre amarela.

Posto isto, recomendamos que te informes acerca da obrigatoriedade de vacinações específicas para o teu país de destino, sendo que, após as inoculações, deverás assegurar-te de que não te esqueces do teu Boletim de Vacinas Internacional, que te será dado no final da tua consulta do viajante.

Outros países, como o Irão ou China, por exemplo, continuam a exigir a apresentação de um certificado de vacinação contra a Covid-19. Igualmente relevante é a confirmação da obrigatoriedade de preencher os famosos formulários ou declarações criados no âmbito da crise pandémica.

Stock suficiente para toda a tua medicação habitual

Independentemente do destino escolhido, deverás sempre ter o cuidado de te fazer acompanhar de uma bolsinha especial onde colocarás todos os medicamentos que, por alguma questão de saúde, tenhas que tomar regularmente. Para além disso, nessa mesma bolsinha deverá também estar acondicionado um conjunto de medicamentos/provisões para uso ocasional, como paracetamol/ibuprofeno, anti-histamínicos, pensos rápidos, medicação para a diarreia ou pomada para picadas de insectos. É também aqui que, caso o destino o justifique, poderás colocar o repelente de insectos.

Como nota final, esta bolsinha deverá fazer parte da tua bagagem de cabine. Desta forma, se algo acontecer à tua mala de porão, não ficarás sem a medicação.

Seguro de Viagem

Se queres partir de viagem com a consciência totalmente tranquila face a algum tipo de imprevisto que possa acontecer, então contratares um seguro de viagem é essencial para a tua paz de espírito.

No entanto, e caso a tua viagem tenha como destino algum país da UE, Islândia, Noruega, Suíça, Liechtenstein ou Reino Unido, poderás pedir o teu Cartão Europeu de Seguro de Doença. Este documento oficial, totalmente gratuito, permite-te usufruir dos serviços de saúde públicos destes países, nas mesmas precisas condições com que serias tratado em Portugal. Após solicitação, que poderá ser feita online na Segurança Social Directa ou presencialmente em qualquer espaço de atendimento da Segurança Social, o cartão será entregue na tua morada de residência no prazo de 1 semana.

No entanto, tem em atenção que este cartão é apenas aplicável a serviços de saúde, pelo que continuarás sem qualquer protecção face a cancelamentos, roubos ou perda de bagagem. Para estes casos, bem como para qualquer cobertura de saúde em viagens que tenham como destino um país que não faça parte do grupo acima mencionado, terás que contratar um seguro de viagem. Uma vez que a oferta é vasta e cada vez mais completa, recomendamos que analises com atenção as propostas dos maiores players do mercado, como a IATI.

Segurança

Contacto da embaixada portuguesa (ou consulado) no teu país de destino

Embora, e posso confirmar em primeira mão, lidar com embaixadas e consulados portugueses no estrangeiro nem sempre seja pera doce, é bom saber que, lá longe de casa, é possível encontrar alguém que tem como missão prestar auxílio a nacionais e residentes do nosso país.

Instala a app “Registo do Viajante”, onde poderás fazer o teu registo, de forma a informar as autoridades do teu paradeiro, e aceder a todas as informações de que falámos acima, incluindo contactos de consulados e embaixadas, horários de funcionamento, regras de entrada nos países, vistos, entre outras informações preciosas.

Por isso, e porque não custa nada, é sempre boa ideia confirmar a existência destas instituições no teu país de destino e guardar o seu endereço e contacto telefónico no teu telemóvel.

Principais dicas de segurança ou travel scams mais frequentes

Porque conhecimento é poder, é extremamente útil estar a par de quais as burlas e esquemas mais comuns no teu país de destino. Dessa forma, quando um qualquer grupo de indivíduos te tentar cercar e vender pulseiras na escadaria da Sacré Coeur (Paris), não serás apanhado desprevenido e saberás o que fazer. Este é apenas um exemplo de dezenas de truques e manhas que podes encontrar na internet para cada destino que visites.

Por outro lado, vale também a pena prestar atenção às principais dicas e medidas de segurança recomendadas em destinos com maiores índices de criminalidade, ou onde os turistas sejam abertamente alvo de interacções indesejadas. A título de exemplo, é neste ponto que entra a compra e a utilização adequada de um money belt se estiveres de visita a um país onde roubos e assaltos sejam uma preocupação para a maioria dos visitantes.

Partilhar endereço do alojamento e itinerário

Embora nunca devamos ir de viagem esperando o pior, é ao mesmo tempo necessário que esse cenário esteja devidamente colmatado. Com base nessa premissa, é importante que alguém da tua confiança (parceiro, familiar ou amigo) saiba sempre onde é suposto estares em determinado dia da tua viagem. Dessa forma, se ficares incontactável, tens pelo menos a garantia que há alguém que será capaz de rastrear o teu percurso.

Naturalmente, o mesmo se aplica aos teus alojamentos, sendo que deverás deixar indicações claras com nome, endereço e contacto telefónico de todos os hotéis/apartamentos/guesthouses onde é suposto ficares alojado em cada dia do teu roteiro.

Fazer cópias físicas dos teus cartões de embarque, confirmações de reserva e bilhetes

Embora, em caso de perda, o cenário não seja tão grave, repetimos aqui o conselho dado acima para todos os teus documentos de identificação. Assim, caso o teu telemóvel deixe de funcionar a meio da viagem, terás sempre cópias impressas dos teus cartões de embarque, reservas de hotel (onde podes consultar o endereço) e de todos os bilhetes que já tenhas adquirido, sejam eles relativos a transportes colectivos ou atracções turísticas!

Financeiro

Levar o teu cartão Revolut

Como já tivemos a oportunidade de explicar nos nossos múltiplos guias de viagem, o cartão Revolut é uma das ferramentas mais úteis a qualquer viajante, permitindo-te fazer levantamentos em moeda estrangeira sem incorreres no pagamento de quaisquer taxas de conversão impostas pela entidade emissora do cartão (ao contrário do que acontece com os chamados “bancos tradicionais”).

Para além disso, e mesmo que estejas de partida para um destino que partilhe a mesma moeda, poderás utilizar o Revolut como forma de ires controlando e monitorizando os teus gastos, sendo que, mesmo em matéria de segurança, é possível ir adicionando mais saldo ao cartão à medida que os dias vão passando. Isto significa que podes ir apenas carregando o saldo que precises no início de cada dia, minimizando assim as tuas potenciais perdas em caso de roubo ou clonagem.

Como é necessário teres acesso à internet para fazer carregamentos no cartão, aconselhamos a fazeres um carregamento sempre antes de partires de forma a que a eventualidade de problemas com a internet à chegada não prejudique o teu acesso a dinheiro e possibilidade de de efetuar pagamentos.

Recomendado: Dicas para viajantes: Tudo que precisas de saber sobre o Cartão Revolut

Levar sempre 2 cartões distintos

Já diz o velho ditado que nunca deves colocar todos os ovos no mesmo cesto! Imagina que te fazes apenas acompanhar de um cartão de crédito/débito e que, chegado ao teu destino, descobres que o mesmo não funciona. Está dado o mote para umas férias arruinadas!

Assim sendo, e para fintares um qualquer azar do destino (incluindo roubos), deves sempre fazer-te acompanhar de pelo menos 2 cartões de pagamento. Aliás, se conseguires que um deles seja Visa e o outro Mastercard, tanto melhor! Evidentemente, e depois de testado, deverás apenas andar com um deles no dia-a-dia, mantendo o outro no cofre do quarto para fazer face a qualquer infortúnio.

Informar o banco de que irás efectuar compras num país estrangeiro

Embora não seja tão comum quanto isso (nos EUA é o pão nosso de cada dia), se utilizares cartões de um banco tradicional para fazer compras no estrangeiro, existe sempre a possibilidade do mesmo ser bloqueado pela entidade bancária. É certo que os bancos fazem isto por questões de segurança, para o caso de teres sido alvo de algum tipo de fraude, mas não deixa de ser extremamente inconveniente.

Posto isto, a forma de contornar esta situação para por contactares o teu banco antecipadamente e passares a informação de que farás compras e levantamentos no estrangeiro dentro de um determinado intervalo de datas. Dessa forma, a entidade poderá associar uma nota à tua conta e assim evitar potenciais bloqueios de segurança. Naturalmente, esta premissa não se aplica ao cartão Revolut.

Leva uma quantia residual em dinheiro vivo

Uma vez mais, caso tenhas algum tipo de inconveniente que não te permita utilizar o teu cartão nos dias iniciais da tua aventura, é sempre útil ter algum dinheiro em numerário para fazer face aos custos enquanto tentas encontrar uma solução.

No entanto, tem em atenção que não deverás levar quantias avultadas, mantendo também o cuidado de andar apenas com uma parte do dinheiro e deixar o remanescente no cofre do quarto.

Alojamento

Pesquisa antecipadamente as melhores zonas para te alojares

Nunca cometas o erro de marcar um alojamento sem antes fazeres uma espécie de mapeamento do terreno. Parece dramático, mas a localização do teu hotel pode ser um autêntico make-or-break! Naturalmente, ficar próximo do centro costuma ser uma aposta segura, pelo menos no hemisfério norte. No entanto, os preços tendem também a ser substancialmente mais altos face aos arredores e subúrbios. Posto isto, se ficar no centro não é financeiramente viável, assegura-te de que a zona que procuras é servida pela rede de transportes públicos local, sob o risco de gastares em táxis aquilo que poupaste no quarto.

Para além disso, é igualmente importante confirmares quais as áreas da cidade que deves evitar por questões de segurança. Pegando novamente no exemplo acima, e no caso da América Latina, os centros da cidade são muitas vezes desaconselhados devido ao risco de roubos e assaltos, pelo que deverás optar por bairros/distritos periféricos.

Marca o teu alojamento

Embora existam muitos adeptos da filosofia do “vamos indo e vamos vendo”, acredito que, se estás a ler este post, existe uma boa probabilidade de ainda não teres a confiança suficiente para ires procurando quartos à medida que a aventura vai avançando. Posto isto, recomendamos que inicies já a viagem com os alojamentos reservados!

Para que possas encontrar o hotel que procuras ao melhor preço possível, deverás recorrer a motores de busca da especialidade, como o Kayak, a Trivago ou a Momondo. Estes agregadores permitir-te-ão comparar directamente preços entre as diferentes plataformas existentes, poupando-te o trabalho de ter que consultar separadamente sites como a Booking.com, o Agoda ou o Hotels.com. Para apartamentos, vale obviamente a pena olhar para o Airbnb.

Tão relevante como o preço, é também importante atentar aos comentários do alojamento. De acordo com a classificação de cada site, estabelece um limite mínimo (por exemplo, classificação de 7 em 10 ou de 4 em 5) e descarta todos as opções que não cumpram esse requisito. Mesmo assim, dá uma vista de olhos pelos comentários para perceberes os pontos fortes e fracos do alojamento antes de fazeres uma escolha definitiva. Por fim, e já depois de teres a localização em mente conforme sugerido no ponto anterior, confirma também que as datas seleccionadas para a tua estadia estão correctas antes de finalizares a reserva.

Recomendado: Reservas de hotéis pelo Booking.com? Nem sempre é a opção mais barata

Confirma o horário de check in

Pode acontecer que o alojamento que tenhas marcado não tenha recepcão 24-horas por dia. Assim, é importante verificares o horário de check in do alojamento que vais marcar / já tens marcado, especialmente quando vais chegar a uma hora fora do horário normal de expediente, de forma a não dares com o nariz na porta.

Logísticas e Transportes

Check-In online para o teu voo

Hoje em dia totalmente normalizado, a verdade é que ainda há uns anos, eram muitos os que perdiam horas de sono à conta do processo de check-in online. Na verdade, terás apenas que estar atento à caixa de e-mail, uma vez que todas as companhias aéreas enviam um lembrete assim que passa a ser possível completá-lo.

Os timings podem variar de transportadora para transportadora, mas o procedimento habitualmente abre 24 ou 48 horas antes da hora de partida, finalizando 2 horas antes da mesma. Seja como for, garante sempre que estás atento aos timings exactos da tua reserva, de forma a que não tenhas que pagar qualquer taxa extra para completar o processo nos balcões do aeroporto.

Deslocação entre o aeroporto e o centro da cidade

Não há nada pior que acabares de chegar a um sítio desconhecido e sentires-te imediatamente perdido. É precisamente para evitar isso (e uma cara e desnecessária viagem de táxi) que é tão importante saberes de antemão qual a melhor forma de te deslocares entre o aeroporto e o centro da cidade, ou o teu alojamento.

Na esmagadora maioria dos destinos, há sempre um metro, comboio ou autocarro capaz de fazer essa ligação. É certo que na maioria dos aeroportos, essa opção costuma estar sinalizada nas placas, apontando para o local onde podes apanhar esse transporte. No entanto, se já souberes precisamente quanto vais gastar, onde entrar e onde sair, todo o processo será substancialmente mais suave.

Sistema de transportes públicos local

Intimamente relacionado com o ponto anterior, é também importante teres uma noção do funcionamento e abrangência do sistema de transportes públicos local. Dessa forma, serás capaz de transitar pela cidade sem grandes desafios, poupando simultaneamente tempo e dinheiro.

Para isso, e antes de tudo o resto, deverás detectar qual a paragem de metro ou eléctrico mais próxima do teu alojamento, sendo que poderás a partir daí consultar a lista de locais que queres visitar e confirmar qual a melhor forma de te deslocares entre o hotel e os teus principais pontos de interesse. Dependendo dos destinos, poderás ainda ter a sorte de que o sistema local de transportes esteja devidamente integrado no Google Maps, o que significa que poderás consultar directamente na plataforma como ir do ponto A ao ponto B recorrendo exclusivamente a transportes colectivos.

Cartão SIM

Outrora um serviço supérfluo, a compra de cartões SIM com dados móveis (e alguns minutos) é hoje em dia vista como essencial pela maioria dos viajantes. Como tal, é uma boa ideia estar a par dos operadores no mercado do país que vais visitar, os pacotes disponíveis e os níveis de preços. Para isso, poderás consultar os websites Travel TomTom e Phone Travel Wizz, dois recursos com informações acerca de cartões SIM e pacotes de dados móveis de quase todos os países do mundo.

Normalmente, existem bancas dos principais players de cada país nos aeroportos internacionais, mas deverás ter em atenção que os preços à chegada são sempre mais caros que aqueles que encontrarás em lojas da cidade. Se o orçamento não é um problema, então não há nada como a comodidade de sair do aeroporto já com ligação directa ao resto do mundo. Caso contrário, pesquisa antecipadamente pela loja mais próxima do teu alojamento e podes comprar o teu cartão SIM assim que termines o check-in.

Como última opção, porém igualmente válida, podes optar por comprar um cartão SIM virtual (eSIM) e ter todo o processo tratado ainda antes da partida. Podes saber mais sobre esta alternativa através do link abaixo.

Recomendado: Cartões eSIM – O futuro do acesso à internet em viagem

Baixar mapa offline

Mesmo que não tenhas acesso à internet, é importante que estejas munido de algum tipo de ferramenta que te possibilite consultar a tua localização e traçar o caminho mais conveniente entre dois locais – quanto mais não seja para conseguires encontrar o teu hotel depois de saíres do transporte público!

Embora existam várias opções, incluindo a versão offline do Google Maps, a aplicação mais popular e utilizada do ramo é a Maps.me. Deves apenas garantir que fazes o download do mapa do teu destino (directamente na app) antes da tua partida, e assim que aterres poderás imediatamente utilizá-lo, mesmo estando offline.

Tipo de tomada

Para surpresa de alguns viajantes menos atentos, o tipo de tomada não é transversal a todos os países do mundo! Isto significa que, se visitares um país onde as tomadas não são do Tipo C ou F, as dominantes na União Europeia, não conseguirás carregar nenhum dos teus equipamentos.

A solução passa por antever este problema e comprar um adaptador de tomada, permitindo-te ligar esse mesmo aplique à tomada antes de conectares a ficha do carregador do teu dispositivo. É certo que muitos hotéis dispõem deste tipo de adaptadores, e podes sempre facilmente comprar um no teu país de destino, mas não deixar de ser mais um tema pendente (e imprevisto) que terás que tratar à custa do teu escasso e precioso tempo de férias. Para consultares o tipo de tomada de um determinado destino:

Dicas para Viajantes: Tudo que precisas de saber sobre os tipos de tomada para onde vais viajar 🔌

Packing / Malas

Dimensão e peso máximos da bagagem incluída na tua tarifa

Antes de começares sequer a fazer a mala, garante que consultas as dimensões e pesos máximos permitidos na tarifa que originalmente compraste. Embora possa variar de acordo com a transportadora low-cost, as regras são normalmente semelhantes entre Ryanair, Easyjet, Wizz Air ou Vueling, com a tarifa-base a permitir-te apenas que te faças acompanhar de uma mala pequena que deverá ser acomodada debaixo do banco da frente. Entre o rol de companhias europeias desta categoria, apenas a Transavia inclui na sua tarifa mais barata a possibilidade de levares uma mala de cabine, aplicando o mesmo modus operandi da generalidade das companhias de bandeira.

Caso não confirmes esta informação e te apresentes na porta de embarque com uma mala de dimensões superiores às contempladas na tua tarifa, serás obrigado a pagar uma taxa de várias dezenas de euros para que a tua bagagem seja autorizada a bordo da cabine (se ainda houver espaço) ou despachada para o porão.

Carregadores e cabos de todos os teus dispositivos electrónicos

Este ponto serve apenas de lembrete. Afinal, chegares a um novo país, esbaforido após várias horas no avião, apenas para entrares no teu quarto e reparares que te esqueceste do teu carregador de telemóvel/tablet/portátil seria extremamente inconveniente. Ou então que tens o carregador mas o cabo ficou na mesinha de cabeceira. Ou que tens ambos, mas o teu cabo acaba de avariar. Assim, aconselhamos a levares pelo menos 2 cabos para os teus dispositivos mais importantes.

Transporte de líquidos

O transporte de substâncias líquidas a bordo de um voo de saída de Portugal está sujeito às normativas de segurança impostas pela União Europeia.

Assim sendo, todos os líquidos deverão ser transportados em embalagens, garrafas ou recipientes de quantidade igual ou inferior a 100ml. Para além disso, todos estes recipientes deverão ser embalados numa única bolsa plástica transparente, de abertura fácil e com o tamanho máximo de 20 x 20cm, que deverá ser retirada da bagagem e inspeccionada separadamente na zona de segurança. Por líquidos, entende-se também perfumes, géis, cremes, loções e protetor solar; bem como artigos de higiene pessoal e maquilhagem, como pasta de dentes, shampoo, desodorizante ou verniz de unhas.

Tudo o que não obedeça a estes limites de embalagem será confiscado na zona de segurança e descartado para o lixo.

Condições meteorológicas no destino

Para que não corras o risco de empacotar roupas, acessórios e outras peças desnecessárias, nunca te esqueças de confirmar o boletim meteorológico para o teu destino. Mesmo que vás numa estação com temperaturas específicas, podes ter o azar ou a particularidade de te deparar com fenómenos incomuns, como uma onda de calor em meses de Inverno, nevões ou tempestades.

Não custa nada, e ajuda a que possas fazer a mala de forma mais eficiente, de acordo com as condições que te esperam.

Conteúdo da mala

Embora tenhamos programado um artigo específico para um futuro próximo com todas as dicas necessárias para fazeres uma mala à campeão, aproveitamos para te deixar aqui alguns conselhos e lembretes genéricos:

  • Para poupares espaço na mala, leva sempre vestida a roupa mais robusta e que ocupe mais espaço;
  • Coloca na base da mala os artigos mais pesados (como calçado ou livros). Não só vais evitar que estes itens esmaguem o resto da tua bagagem, como servirão de base quando pousares a mochila no chão, evitando que tombe para um dos lados;
  • Para optimizares o espaço, tenta colocar todas as tuas camisolas/tops e calças/calções em rolinhos, e, se necessário, utiliza sacos de vácuo;
  • Podes recorrer a kits de organização de viagem para manteres todos os teus itens bem segmentados e arrumadinhos;
  • Tem à mão tudo o que precisarás de retirar da mala ao passar na segurança, como computadores ou líquidos;
  • NÃO LEVES AQUILO QUE NÃO PRECISES… lembra-te que a probabilidade de existirem lavandarias self-service no teu destino é bastante alta😊

Para além disso, deixamos abaixo uma pequena checklist do que deverá constar da tua bagagem. Se vais viajar com mala de porão, marcamos com um “*” aquilo que deverá seguir contigo na tua mala de cabine/bolsa pequena:

  • Documentos de Identificação*
  • Cartões bancários*
  • Cópias físicas de documentos, reservas e bilhetes*
  • Roupa e Acessórios (adequados às condições meteorológicas, conforme ponto anterior)
  • Calçado de caminhada
  • Porta-Documentos e/ou Money Belt (se necessário)*
  • Bolsinha de medicamentos (incluindo óculos e/ou lentes de contacto)*
  • Produtos de higiene
    • Cremes / loções,
    • Shampoo e gel de banho,
    • Pasta de dentes e escova de dentes
    • Escova do cabelo
    • Desodorizante,
    • Toalhitas desmaquilhantes,
    • Lenços de papel e/ ou toalhitas multi-usos
    • Batom de cieiro com proteção solar
    • Produtos de higiene feminina
  • Kit de transporte de líquidos (recipientes de capacidade inferior a 100ml)*
  • Carregadores de dispositivos electrónicos*
  • Câmara Fotográfica*
  • Almofada de viagem*
  • Saco de pano para roupa suja
  • Óculos de Sol
  • Protector Solar
  • Auscultadores*
  • Adaptador de Tomada (se destino justificar)*
  • Power Bank
  • Secador de cabelo
  • Esferográficas*

Localizador de itens

Um artigo que se tem vindo a revelar cada vez mais popular, especialmente dadas as múltiplas histórias de bagagens perdidas e extraviadas no Verão passado, os localizadores de itens parecem ter vindo para ficar. Estes pequenos dispositivos, que devem ser colocados dentro da tua mala, emitem sinais de GPS que poderás monitorizar com recurso a uma app. Apenas tens que instalar a ferramenta no teu smartphone, associar o localizador de itens et voilà!

Estes dispositivos permitem-te monitorizar a localização da tua mala em tempo real, sendo extremamente úteis não só em casos de extravio de malas, mas também de roubo. Alguns destes rastreadores têm ainda funcionalidades que permitem que sejas alertado caso a tua bagagem saia fisicamente de uma área pré-definida ou sensores de vibração que te avisam se alguém estiver a mexer ou a movimentar a tua mala.

Se não souberes onde procurar alguns dos artigos listados acima, recomendamos que dês uma vista de olhos no artigo abaixo:

Recomendado: 30 objetos essenciais para levares na tua próxima viagem

Fotografar a mala e todo o seu conteúdo

Caso tenhas a infelicidade de sofrer um assalto, extravio ou dano na tua bagagem, é importante que tenhas alguma prova do conteúdo da mesma, tal como do seu aspeto exterior. Com estas imagens, ser-te-á mais fácil preencher devidamente a participação ao teu seguro de viagem para que possas receber uma compensação justa e rigorosa.

Antes de fazeres a mala, exibe todo o conteúdo numa única superfície e tira várias fotografias. A par das imagens, podes ainda captar um pequeno vídeo em que vais mostrando e listando em voz alta todo os itens.

Confirmar dimensões e peso da mala, depois de pronta

Finalmente, irás confirmar novamente as dimensões e peso da bagagem depois de teres a mala feita. Desta forma, poderás garantir de uma vez por todas que não corres o risco de ter uma surpresa inesperada na porta de embarque.

Download da checklist:

Podes fazer download de uma versão em PDF da nossa checklist aqui (versão a perto e branco, caso queiras imprimir)

Seguro de Viagem

Para contratar o teu seguro de viagem, aconselhamos a IATI, com uma excelente gama de seguros, incluíndo aquela que é, provavelmente, a melhor cobertura Covid-19 do mercado. 

Consulta do Viajante

Aconselhamos a marcar a tua consulta na Consulta do Viajante Online. Insere o código flamingo para teres 5% de desconto em consultas para 2 ou mais pessoas.

Carro

Para os melhores preços no aluguer de carros vai a Rentalcars.com!

Tours & Atividades

Reserva já os teus tours ou atividades no Viator, do grupo Tripadvisor! E ao fazê-lo estás-nos a dar uma grande ajuda 🙂

Queres receber notificações acerca de novas ofertas?

Regista-te e decide a frequência de envio. Não vamos enviar spam!

Sugestões de viagem