Guia de viagem de Cracóvia – Roteiro de 3 dias 🇵🇱🏰

  • 25.09.2023 18:50
  • Bruno A.

Guia de viagem de Cracóvia que inclui informações acerca de hotéis, restaurantes e transportes entre aeroporto e cidade, bem como um roteiro completo de 72 horas. O itinerário menciona tudo o que ver e fazer em Cracóvia em 3 dias, com destaque para as principais atracções e pontos turísticos, incluíndo as visitas a Auschwitz-Birkenau e/ou às Minas de Sal de Wieliczka.

Queres receber notificações acerca de novas ofertas?

Regista-te e decide a frequência de envio. Não vamos enviar spam!

Considerada a capital histórica da nação polaca, título que ocupou durante mais de 500 anos, Cracóvia foi uma das poucas grandes cidades do país a escapar à destruição maciça da Segunda Guerra Mundial. Como tal, e ao contrário de Varsóvia, Cracóvia é uma cidade bastante clássica, completa com vários quarteirões de arquitectura antiga e um imponente castelo.

Contudo, e apesar de não se ter repercutido no visual da cidade, é inegável o legado deixado pelo maior e mais horrendo conflito da história da humanidade. Afinal, é em Cracóvia que podes encontrar a famosa fábrica de Oskar Schindler (sim, o do filme) e percorrer o antigo ghetto judaico em Podgorze. Para além disso, o tenebroso Campo de Concentração de Auschwitz fica situado a apenas 70 km do centro da cidade, sendo por isso a day trip mais popular e procurada entre turistas e visitantes.

Posto isto, convidamos-te a ler o nosso guia de viagem de Cracóvia e descobrir o que de melhor a cidade tem para oferecer, incluindo hotéis, restaurantes, dicas de segurança e ainda um roteiro completo de 3 dias com tudo o que deves visitar em Cracóvia.

Guia de Viagem de Cracóvia, Polónia

Como chegar a Cracóvia – Voos desde Portugal

Tratando-se da segunda maior cidade do país e do seu principal destino turístico, Cracóvia é naturalmente servida por um dos aeródromos mais movimentados da Polónia: o Aeroporto Internacional João Paulo II.

Partindo de Portugal, existem voos directos a partir de Lisboa e Porto, ambos com a Ryanair.

Melhor altura para visitar Cracóvia

À semelhança da generalidade dos países europeus, a melhor altura para visitar Cracóvia corresponde aos meses de Primavera, Verão e de início de Outono no hemisfério norte, com especial destaque para o período entre Maio e Outubro, quando a probabilidade de apanhares dias quentes e solarengos é substancialmente maior.

Também de acordo com o nosso guia de viagem de Cracóvia, outra altura excelente para visitar o país corresponde à época de Natal, quando a cidade organiza um dos melhores mercados de Natal da Europa.

Documentos necessários para visitar Cracóvia

Uma vez que continuarás dentro da União Europeia, não te é exigida a apresentação de passaporte para poderes viajar, bastando apenas que estejas na posse de cartão de cidadão válido.

Descobre mais: Vais viajar e tens o Passaporte ou Cartão de Cidadão caducado ou perdido? Vê aqui o que podes fazer

Cartão SIM em Cracóvia – Roaming em viagem

Estando o país vinculado às regras de roaming da UE, não te será cobrada qualquer taxa de roaming durante a tua visita a Cracóvia.

Assim sendo, poderás simplesmente utilizar o teu cartão (quase) como se estivesses em Portugal (os dados das apps que as operadoras portuguesas contam num plafond separado, passam a contar para o teu plafond principal de dados. Isto significa que se tiveres 5GB de dados + 15GB para apps, enquanto estiveres em Cracóvia esses dados vão ser retirados aos 5GB e não aos 15GB).

Dinheiro em Cracóvia – Taxas bancárias e orçamento de viagem

Tendo como moeda oficial o Zloty Polaco (PLN), qualquer levantamento que faças em Cracóvia recorrendo a um cartão português, recorrerá naturalmente ao pagamento de várias taxas. Para além da taxa percentual sobre o valor do levantamento (relativa à conversão), a tua transacção estará também sujeita ao pagamento de um valor fixo, referente à taxa por levantamento de divisa fora da zona Euro. Contas feitas, podes acabar a pagar ao teu banco bem acima de 6% do valor do teu levantamento.

Uma vez que efectuar o câmbio antes da viagem está também longe de ser económico – para além de não ser propriamente seguro andares com uma quantia tão grande em dinheiro vivo – a melhor alternativa passa por recorreres aos serviços de bancos online como o Revolut ou o N26.

No caso do primeiro, permite-te efectuar levantamentos até um determinado limite mensal sem que te seja cobrada qualquer taxa. Para além disso, mesmo depois de atingido esse patamar, as comissões são residuais quando comparadas às dos bancos tradicionais. Contudo, é importante ter em atenção que o Revolut não te “protege” no que toca a eventuais taxas que o banco responsável pela caixa automática que utilizares cobre por levantamentos com cartão estrangeiro. Isto é especialmente relevante no que toca às infames caixas da Euronet, famosas por efectuarem sempre este tipo de cobrança. Seja como for, e existindo alguma comissão cobrada pelo banco do destino, essa informação é-te sempre comunicada antes de confirmares o levantamento, por isso nunca serás apanhado desprevenido.

De salientar também que em Cracóvia, tal como na maioria dos países europeus, os pagamentos eletrónicos são extremamente prevalentes e é cada vez mais rara a necessidade de levantar dinheiro. Ainda assim, e caso precises de o fazer, aconselhamos que uses os seguintes bancos que, à data da escrita deste artigo, não cobram qualquer taxa de levantamento:

  • Bank Pekao SA
  • Santander

Se preferires levar algum dinheiro e fazer câmbio, podemos aconselhar 5 casas de câmbio com avaliações muito favoráveis:

Descobre mais: Dicas para viajantes: Tudo que precisas de saber sobre o Cartão Revolut

Segurança em Cracóvia – esquemas e burlas mais comuns em Cracóvia

Antes de tudo o resto, convém já ressalvar que Cracóvia é uma cidade extremamente segura. Com índices de criminalidade baixos e sem qualquer histórico de acções terroristas, podes sentir-te confortável em qualquer zona do centro, mesmo durante a noite.

Contudo, e como acontece em qualquer grande cidade com muito turismo, é sempre boa ideia utilizar o senso-comum. Nada de utilizar táxis que se recusem a ligar o taxímetro, ter cuidado com os teus pertences em zonas muito movimentadas – especialmente nas zonas turísticas – e nunca aceitar ajuda de ninguém quando estiveres a utilizar uma caixa multibanco. Para além disso, e uma vez que estás num país que utiliza uma moeda diferente, também não recomendamos que faças qualquer câmbio de divisa com um desconhecido. Mesmo nas casas de câmbio, certifica-te sempre de que confirmas o valor antes de entregares o dinheiro ao funcionário, uma vez que alguns destes estabelecimentos são conhecidos por ter práticas menos salubres (como taxas escondidas).

Por fim, e como aviso especial à comunidade LGBTQ+, a Polónia está longe de ser, pelo menos no espaço europeu, o destino mais acolhedor no que toca a minorias sexuais. O governo, extremamente popular a julgar pelos resultados eleitorais, é conhecido pela sua retórica populista e combate àquilo que chama de “ideologia de género”, tentando colar a homossexualidade a conceitos verdadeiramente perversos como a endoutrinação, o assédio sexual ou a pedofilia. Com base neste histórico, recomendamos apenas que tenhas especial cautela no que toca a demonstrações públicas de afecto a pessoas do mesmo sexo, especialmente fora dos grandes centros turísticos.

Onde dormir em Cracóvia – Hotéis e Alojamentos em Cracóvia

À semelhança da maioria dos países/cidades que outrora ficavam do lado de lá da Cortina de Ferro, também Cracóvia tende a ter um custo de vida relativamente mais baixo que aquele a que estamos habituados. É verdade que a cidade já não é assim tão barata quanto costumava ser, mas continua a ser um destino acessível.

Posto isto, e se estás a priorizar a busca de um sítio para dormir, deixamos-te uma sugestão para cada categoria de classificação no nosso guia de viagem de Cracóvia:

Nota: Se usares os links acima para fazer as reservas do teu alojamento, estás-nos a dar uma ajuda preciosa sem pagar mais por isso 🙂

Transporte entre o aeroporto e o centro de Cracóvia

A melhor forma de viajar entre o aeroporto e o centro de Cracóvia passa por utilizar a linha de comboio propositadamente criada para o efeito. A estação fica situada no interior do aeroporto, por isso é só seguir as placas – não há que enganar! Estes veículos operam entre as 04h25 e a 00h20, com uma frequência de partida de 30 minutos. A viagem tem como destino a Estação Central de Cracóvia (Kraków Glówny) e dura cerca de 18 minutos. Quanto aos bilhetes, têm o custo de 17 PLN e podem ser adquiridos nas máquinas automáticas da plataforma ou do terminal de chegadas (brancas, sinalizadas com a nomenclatura Malopolska Karta Aglomeracyjna), ou diretamente ao inspector (apenas em numerário).

Por outro lado, se aterrares na cidade fora do horário de operação dos comboios, podes sempre recorrer ao autocarro 902, o serviço nocturno com saídas às 23h25, 00h20, 01h20, 02h20, 03h20, 03h55 e 04h55. Uma vez mais, os bilhetes podem ser comprados nas máquinas automáticas do terminal de chegadas ou da paragem de autocarro, embora o equipamento seja diferente. Para bilhetes de autocarros, deves procurar a máquina preta com a inscrição “Krakowska Karta Miejska” e seleccionar a opção “Zones I+II suburban services”. O preço é de apenas 6 PLN e os bilhetes devem ser validados no interior do veículo. A paragem fica situada imediatamente à saída do terminal, bastando seguir a sinalização. Tem em atenção que o término da rota será na Estação Central de Autocarros, por isso, se o teu alojamento ficar na Cidade Velha, deverás sair na paragem situada junto ao Teatro Juliusz Slowacki.

Guia de viagem de Cracóvia – Transportes públicos

Sinceramente, e à excepção do transporte entre aeroporto e o centro da cidade (explicado acima) e da visita às Minas de Sal de Wieliczka, dificilmente terás que utilizar os transportes urbanos de Cracóvia. A cidade é extremamente compacta e, embora haja muito para ver e fazer, é relativamente exequível completar todos os percursos a pé, mesmo entre distritos diferentes (Cidade-Velha, Kazimierz e Podgorze – por exemplo).

No entanto, e caso tenhas mesmo que utilizar o sistema de transporte público da cidade, o mais provável é que te fiques pelo eléctrico (tram), uma espécie de metropolitano de superfície que circunda o centro histórico de Cracóvia, ligando-o aos subúrbios.

Tram de Cracóvia – Mapa, preços e bilhetes diários

Apesar de não ser servida por qualquer sistema de metro, Cracóvia tem uma rede bastante abrangente de eléctricos, composta por quase 30 linhas e mais de 80 estações. Para além de ser extremamente útil para o transporte de passageiros residentes entre as suas casas e os respectivos locais de estudo/trabalho, o tram cobre praticamente todo o centro histórico da cidade, estendendo-se ainda aos bairros periféricos onde podes encontrar a Fábrica de Schindler ou o Krakus Mound.

O horário de funcionamento do tram varia de acordo com o dia da semana e a linha, embora costume habitualmente iniciar operações às 04h30 e terminar às 23h00.

No que toca aos bilhetes, o preço irá variar de acordo com a duração da viagem. A título de exemplo, um bilhete válido por 20 minutos tem o custo de 4 PLN, por 60 minutos de 6 PLN e por 90 minutos de 8 PLN. Os títulos de viagem podem ser comprados nas máquinas automáticas presentes em todas as paragens, ou directamente na app da MPK, entidade responsável pela gestão dos transportes públicos de Cracóvia. Para além disso, são igualmente válidos nos autocarros locais! Todos os bilhetes devem ser validados nos scanners localizados no interior dos veículos.

No entanto, se contas utilizar o tram de forma muito recorrente, então poderá valer a pena analisar as ofertas diárias e multi-diárias da plataforma:

  • Passe 24 horas: 17 PLN (ou 22 PLN se inclui zonas fora do centro da cidade)
  • Passe 48 horas: 35 PLN
  • Passe 72 horas: 50 PLN
  • Passe 7 dias: 56 PLN (ou 68 PLN se inclui zonas fora do centro da cidade)

Tem em atenção que, após a primeira validação, o passe é válido durante um período ininterrupto de 24, 48 ou 72 horas (consoante a tua escolha). Isto significa que se validares um bilhete de 24h às 14h00 de Sábado, o título será válido até às 13h59 de Domingo (e não apenas até às 23h59 de Sábado).

Krakow City Pass

Como alternativa, podes também optar pelo Krakow City Pass. Disponível em versões de 1, 2 ou 3 dias, este cartão inclui a utilização ilimitada de transportes públicos, bem como “admissão” gratuita nas principais atracções da cidade durante o período contratado. Podes confirmar todos os parceiros e benefícios do Krakow City Pass nesta página.

Quanto a preços, estes são os valores actuais:

  • 1 dia: 29,55€
  • 2 dias: 45,45€
  • 3 dias: 50,00€

Caso contes visitar grande parte das atracções incluídas mas não precises do passe de transportes públicos, está também disponível uma versão que inclui apenas a admissão nos pontos turísticos da cidade, por um período único de 3 dias, por 30,00€.

Free walking tours em Cracóvia

cracóvia

Em Cracóvia, podes optar por explorar o centro com recurso a um free walking tour. Administrados por empresas ou guias locais, estes tours consistem em visitas guiadas pelos quarteirões históricos, no qual te vão contando as histórias de cada sítio e providenciando um importante contexto cultural. Embora os tours sejam, de facto, gratuitos, mandam os bons costumes que no final cada pessoa dê uma gorjeta ao guia como compensação pelo seu trabalho. No caso de Cracóvia, o valor mínimo aceitável deverá rondar os 25 PLN.

Posto isto, aqui estão algumas empresas que organizam free walking tours em Cracóvia:

Tesouros Escondidos de Cracóvia

Com 3 dias em Cracóvia, é possível ficar a conhecer as principais atracções da cidade, visitar as Minas de Sal de Wieliczka e ainda arriscar numa day trip até Auschwitz.

Não obstante, para tornar a tua experiência ainda mais rica, tomámos a liberdade de mencionar alguns sítios menos óbvios que deverás juntar à tua lista de coisas para ver e fazer em Cracóvia:

Farmácia da Águia – A única farmácia situada no interior do antigo ghetto judaico delimitado pela Alemanha Nazi em Cracóvia. À semelhança de Schindler, também este homem – Tadeusz Pankiewicz, cidadão polaco – foi responsável por salvar incontáveis judeus de morte certa, oferecendo medicamentos e contrabandeando comida e suprimentos.

Collegium Maius – O edifício mais antigo da Universidade Jaguelônica, uma das mais antigas do mundo. Aqui podes encontrar a museu da universidade e ver as salas, utensílios e materiais utilizados por estudantes tão famosos quanto Nicolau Copérnico.

Krakus Mound – Nesta colina artificial acredita-se estar sepultado o fundador da cidade, uma figura mítica e lendária… literalmente, pois não há registos da sua existência! Ainda assim, é um excelente local para apreciar as vistas sobre Cracóvia.

Campo de Concentração de Plaszow – Situado nas traseiras do Krakus Mound, já não resta praticamente nada deste infame campo de concentração, retratado em “A Lista de Schindler”. Para além de 2 ou 3 estruturas em ruínas e uma série de placas informativas, tudo o resto é um tenebroso vazio. Pesado, mas um local que vale a pena visitar se não puderes ir a Auschwitz.

Nowa Huta – Este distrito periférico de Cracóvia tem a honra de ser um dos maiores projectos de estilo brutalista-soviético alguma vez construído. Uma “cidade ideal” aos olhos dos ideais comunistas, cujas avenidas largas, edifícios uniformes e cores monocromáticas não deixam dúvidas relativamente ao lado da Cortina de Ferro onde se situava.

Covil do Dragão – Reza a lenda que a cidade de Cracóvia foi fundada após o rei mítico (mencionado acima) ter derrotado o dragão que aterrorizava a população local. De acordo com a mesma história, esta era a gruta onde o dragão vivia, actualmente aberta a visitantes. À entrada, podes também encontrar a Estátua do Dragão de Wawel, capaz de cuspir fogo a cada 5 minutos!

Roteiro de 3 dias em Cracóvia

Apesar de toda a sua beleza e riqueza histórica, 3 dias são suficientes para explorar a fundo o centro histórico de Cracóvia. Para além disso, terás ainda tempo de dar um saltinho aos quarteirões de Kazimierz e Podgorze, visitar as Minas de Sal de Wieliczka e partir numa day trip até ao infame campo de concentração de Auschwitz-Birkenau.

Posto isto, fica com o nosso guia de viagem e descobre o que ver e fazer em Cracóvia em 3 dias:

Guia de viagem de Cracóvia: Dia 1 – Stare Miasto

Para o teu primeiro dia em Cracóvia, irás explorar a fundo o seu fabuloso centro histórico. Fun fact: este distrito é de tal forma incrível, que foi um dos 12 primeiros locais a ser designado Património da Humanidade da UNESCO, no longínquo ano de 1978! Curiosamente, este não é o único local da cidade a fazer parte dessa listagem inaugural (mas já lá iremos). Assim sendo, a tua primeira paragem terá lugar no Barbacã de Cracóvia (16 PLN), situado à entrada do portão principal da Cidade Velha. Outrora ligado internamente à muralha da cidade, este era o principal posto de vigia, actuando como uma espécie de segunda linha de defesa. De seguida, irás então atravessar o portão e percorrer a Rua Florianska, a via mais emblemática da Cidade Velha. Há vários séculos, esta rua marcava o princípio da Rota Real, que terminava na outra ponta do centro histórico, no castelo. Era por aqui que passavam paradas e celebrações reais, bem como recepções a figuras importantes estrangeiras. No final da rua, deparar-te-ás com a gigantesca Rynek Glówny, a joia da coroa da Cidade Velha. Também conhecida como Praça do Mercado de Cracóvia, esta é a maior praça medieval do mundo, oferecendo bastante para ver e visitar. No centro do espaço, destaca-se o Sukiennice, o edifício do mercado onde eram comercializados tecidos e especiarias provenientes dos quatro cantos do mundo, ao passo que num dos cantos da praça é impossível não notar a magnífica Basílica de Santa Maria (entrada gratuita na zona de oração, bilhete de 15 PLN necessário para aceder a outras áreas) porventura a igreja mais icónica de Cracóvia. De hora em hora, é tocado o Hejnal Mariacki do topo de uma das torres da basílica, um solo de trompete que costumava ser utilizado em tempos medievais para alertar a população de que havia um ataque/invasão iminente. Também ainda na praça, recomendamos a subir à Torre da Câmara Municipal (18 PLN, gratuito às Segundas-Feiras) para uma das melhores vistas de Cracóvia.

Depois de percorrida a Rynek Glówny, irás enveredar por uma das ruelas da Cidade Velha e descobrir o Collegium Maius (17 PLN), o edifício mais antigo da Universidade Jaguelônica, por sua vez uma das mais antigas do mundo. Aqui podes encontrar a museu da universidade e ver as salas, utensílios e materiais utilizados por estudantes tão famosos quanto Nicolau Copérnico. Aqui, por certo já terás reparado na quantidade absurda de igrejas existentes em Cracóvia, ou não fosse a Polónia um dos países mais fervorosamente católicos do mundo. Embora haja dezenas de exemplares para visitar no centro histórico, recomendo que passes na Igreja de Pedro e Paulo, bastante popular devido às estátuas em pedra que guardam a sua entrada. Finalmente, e para terminar o teu périplo pela Cidade Velha, irás subir ao Castelo de Wawel (35 PLN pela visita standard aos State Rooms, gratuita às 2ª feiras até às 13h30). Considerado um dos locais mais importantes de toda a Polónia, e o local a partir do qual a realeza governava o país, o complexo inclui também a belíssima Catedral de Wawel (22 PLN), onde os reis eram coroados. Em redor do castelo, vale ainda a pena caminhar pelas margens do Rio Vístula, um local bastante popular entre os locais ao fim-de-semana.

Resumo do 1º dia:

  • Barbacã de Cracóvia
  • Rua Florianska
  • Rynek Glówny – Praça do Mercado de Cracóvia
    • Sukiennice
    • Basílica de Santa Maria
    • Torre da Câmara Municipal
  • Collegium Maius
  • Igreja de Pedro e Paulo
  • Castelo de Wawel
  • Catedral de Wawel

Onde comer em Cracóvia – Cidade Velha:

Guia de viagem de Cracóvia: Dia 2 – Kazimierz e Podgorze

Para o segundo dia, e deixando para trás a Cidade Velha, é agora altura de visitar o distrito vizinho de Kazimierz, também ele pertencente ao centro da cidade. Historicamente, Kazimierz era uma cidade independente de Cracóvia, famosa pela coexistência pacífica entre polacos e uma gigantesca comunidade judaica, em tempos a maior de toda a Europa. Apesar de já praticamente não sobrarem quaisquer judeus em Kazimierz, devido à chacina provocada pela invasão Nazi da Polónia e consequente perseguição desta minoria étnica, o seu legado histórico permanece bem vivo, com várias sinagogas existentes no quarteirão. Destas, poderás visitar a Sinagoga Velha, que agora alberga um museu sobre a histórica judaica da cidade (18 PLN, gratuito às Segundas-Feiras); a Sinagoga Remuh (10 PLN), a mais pequena de todas, mas acoplada a um cemitério judaico histórico; e a Sinagoga Tempel (10 PLN) o maior dos locais de culto ainda activos, servindo a minúscula comunidade judaica do distrito. Contudo, nem só de sinagogas vive Kazimierz, pelo que poderás também aproveitar e passar na Basílica Corpus Christi, uma das igrejas mais importantes do quarteirão! Para acabar a manhã, vale a pena passar na Plac Nowy, um dos principais centros boémios da cidade e o local ideal para provar a Zapiekanka, a fast-food polaca de eleição!

Já depois do snack, irás dedicar o resto do teu dia a explorar o distrito de Podgorze, situado a sul de Kazimierz, na margem oposta do Rio Vístula. Afinal, este foi o local onde foi estabelecido o ghetto judaico de Cracóvia por parte das autoridades Nazis, tendo cercado o quarteirão e transferido todos os judeus de Kazimierz para este local sobrelotado e sem quaisquer condições de habitabilidade. No centro de tudo, a Praça dos Heróis do Ghetto de Cracóvia, considerada a praceta principal do quarteirão. Durante a liquidação do ghetto, quando todas as casas foram esvaziadas e os seus habitantes forçosamente transferidos para campos de concentração, toda a mobília e pertences confiscados foram despejados para saque nesta praça. Como memorial, o local exibe agora um monumento composto por 70 cadeiras em metal, de modo a simbolizar o vazio deixado após este crime de guerra. Num dos cantos da praça, é também possível visitar a Farmácia da Águia (18 PLN, gratuito às Quartas-Feiras), a única situada no interior do ghetto. À semelhança de Schindler, também o dono desta farmácia – Tadeusz Pankiewicz, cidadão polaco – foi responsável por salvar incontáveis judeus de morte certa, oferecendo medicamentos e contrabandeando comida e suprimentos. Hoje em dia, é possível visitar a farmácia e o pequeno museu situado no seu interior. Apesar do ghetto ter sido inteiramente destruído no final da guerra, é ainda possível encontrar um muro escondido que costumava delimitar a área. Podes visitar o Muro do Ghetto de Cracóvia ao percorreres a Rua Lwowska.

Daqui, iremos mergulhar ainda mais a fundo nos horrores da Segunda Guerra Mundial, mas desta feita com uma história que ajuda a restaurar um pouco da nossa fé da Humanidade. Tornada famosa pelo clássico de Hollywood “A Lista de Schindler”, realizado por Spielberg, a famosa Fábrica de Esmalte de Oskar Schindler (32 PLN, gratuito às Segundas-Feiras) ficava situada em Cracóvia, precisamente no distrito de Podgorze. Para quem não sabe, Schindler era um industrial alemão que, após a invasão nazi da Polónia, abriu uma fábrica de esmalte em Cracóvia, onde produzia, entre outros, produtos e trens de cozinha que vendia depois ao Ministério da Defesa Alemão. Uma vez que o seu negócio era considerado essencial para o “esforço de guerra”, todos os seus empregados judeus eram poupados ao envio para campos de concentração. Horrorizado com aquilo a que ia assistindo por parte dos seus conterrâneos, Schindler foi fazendo grandes sacrifícios para empregar o maior número possível de judeus, acabando por salvar 1200 pessoas. Hoje em dia, é possível visitar as instalações e percorrer o museu que retrata a história deste antigo magnata industrial alemão e de toda a ocupação nazi de Cracóvia entre 1939 e 1945. Por fim, e para animar os espíritos no final de uma tarde pesada (e prepara-te, porque o dia seguinte será ainda mais deprimente), poderás subir ao topo do Krakus Mound, uma colina artificial onde se acredita estar sepultado o fundador da cidade, uma figura mítica e lendária… literalmente, pois não há registos da sua existência! Ainda assim, é um excelente local para apreciar as vistas sobre Cracóvia.

Resumo do 2º dia:

  • Distrito de Kazimierz
  • Sinagoga Velha
  • Sinagoga Remuh
  • Sinagoga Tempel
  • Basílica Corpus Christi
  • Plac Nowy
  • Distrito de Podgorze
  • Praça dos Heróis do Ghetto de Cracóvia
  • Farmácia da Águia
  • Muro do Ghetto de Cracóvia
  • Fábrica de Esmalte de Oskar Schindler
  • Krakus Mound

Onde comer em Cracóvia – Kazimierz e Podgorze:

Guia de viagem de Cracóvia: Dia 3 | Opção 1 – Visita a Auschwitz-Birkenau

Para o teu último dia em Cracóvia, o retrato do lado mais obscuro do ser humano. Todos conhecemos a perseguição e genocídio a que os judeus foram sujeitos durante a Segunda Guerra Mundial, porventura a maior estrutura organizada de liquidação e morte alguma vez orquestrada. Uma rigidez e eficiência colocadas ao serviço do mal, e de forma tão vil, que ficou para sempre marcada como o “Holocausto”, um termo que pode tecnicamente ser utilizado para qualquer operação genocida, mas que ficará para sempre ligado a este episódio. Como elemento fundamental da chamada “Solução Final”, foram então criados os famosos campos de concentração, locais para onde os judeus eram transportados, sendo depois seleccionados para trabalhos forçados. Aqueles que não tinham essa sorte, eram então enviados para as infames câmaras de gás, onde eram liquidados com recurso ao Zyklon B. De todos os campos conhecidos, nenhum é tão famoso ou horripilante quanto Auschwitz-Birkenau, cujo icónico portão com a inscrição “Arbeit macht frei” (“O trabalho liberta”) marca o ponto de entrada do qual mais de 1 milhão de pessoas nunca regressaram.

Como ir de Cracóvia para Auschwitz-Birkenau

Para chegares a Auschwitz (cujo nome polaco é Oświęcim), terás que recorrer ao autocarro. Sendo este um local com bastante procura por parte de quem visita Cracóvia, existem várias companhias locais a operar a rota de 1h30 (ida), partindo todas elas do Terminal Central de Autocarros. Se, por uma questão de paz de espírito, preferires reservar o teu lugar com antecedência, podes comprar bilhetes online na Lajkonik Bus (38 PLN, ida-e-volta).

Como reservar a entrada e visita guiada em Auschwitz-Birkenau

Embora seja possível de visitar gratuitamente, recomendamos vivamente que optes por uma visita guiada, uma vez que a experiência será substancialmente mais completa a enriquecedora. Podes (e deves) reservar o teu lugar com a devida antecedência no site oficial do memorial, com cada visita a durar 3h30 e a ter o custo de 90 PLN.

Há tours em várias línguas, entre as quais, inglês, espanhol, italiano e francês. Usa a opção no canto superior esquerdo para filtrar a língua da tua preferência.

Como reservar entrada grátis em Auschwitz-Birkenau

Mesmo que optes por fazer a visita gratuita a Auschwitz-Birkenau, continua a ser obrigatório reservar um horário de entrada. Nesse caso, o processo é exatamente o mesmo que para quem reserva uma visita guiada: ir ao site oficial do memorial, mas desta vez seleccionar a opção “Tour for individuals without an educator” (no caso de estares a usar a versão móvel é a opção que não tem língua definida, apenas um “-“) que estão normalmente disponíveis apenas na parte da tarde:

Neste caso, e para tornar a tua visita mais informativa, podes optar por comprar um áudio-guia na loja local (preços variam), sendo que terás acesso aos mesmos locais de quem faz a visita guiada. Não há diferenças nesse aspeto.

Com quanto tempo reservar a entrada em Auschwitz-Birkenau?

Os tours em inglês e visita autónoma gratuita costumam esgotar com bastante antecedência, por isso é importante que o faças o mais rápido possível. 

Caso nas datas da visita já não exista disponibilidade, podes sempre tentar a tua sorte com uma entrada de última hora.

Resumo do 3º dia | Opção 1:

  • Campos de Concentração de Auschwitz-Birkenau

Guia de viagem de Cracóvia: Dia 3 | Opção 2 – Minas de Sal de Wieliczka

Lembram-se de ter dito acima que, para além do centro histórico, existe outro lugar em Cracóvia a fazer parte da lista original de apenas 12 lugares designados Património da Humanidade pela UNESCO? Pois bem, se já tiverem visitado Auschwitz ou preferirem um tipo de experiência menos intenso, é então hora de vos apresentar o outro: as Minas de Sal de Wieliczka (116 PLN)! Situado nos subúrbios, a menos de 15 km do centro, este sítio é um verdadeiro palácio subterrâneo, no qual os mineiros esculpiram catedrais, salões, halls e estátuas, directamente nas paredes de sal. Para chegares a Wieliczka, poderás apanhar o comboio urbano a partir da Estação Central de Comboios (o mesmo que vem do aeroporto), com a viagem a durar pouco mais de 20 minutos. Estes veículos passam a cada 30 minutos e o preço do bilhete é de 6 PLN. Alternativamente, podes também apanhar o autocarro 304, que parte junto à estação principal de autocarros, nesta localização. O veículo terá como destino a paragem “Wieliczka Os. Asnyka”, mas deves sair duas paragens antes, no ponto “Wieliczka Kopalnia Soli”. O preço do bilhete é exactamente o mesmo e a viagem dura 40 minutos, com um novo autocarro a passar a cada 10/20 minutos.  Quanto à visita subterrânea, é feita em grupo e inteiramente acompanhada de um guia, que te fornecerá detalhes acerca de cada local e sobre o quotidiano dos mineiros que por aqui trabalhavam. Para poderes assegurar a tua visita num horário que te seja conveniente, recomendo que compres os bilhetes online com a devida antecedência.

Resumo do 3º dia | Opção 2:

  • Minas de Sal de Wieliczka

Tens mais que 3 dias em Cracóvia? Então pode valer a pena dar uma vista de olhos nestas day trips

Tarnów – Uma pequena cidade situada a cerca de 1 hora de Cracóvia, Tarnów é uma espécie de Cracóvia em miniatura, repleta de edifícios antigos, uma praça central e vários resquícios da outrora enorme presença judaica.

Zalipi – Bem próxima de Tarnów, esta aldeia saltou para os radares turísticos à conta das pinturas e desenhos decorativos presentes em praticamente todas as casas. Um local bem adorável!

Zakopane – Uma vez mais, e idealmente, o melhor seria passar a noite em Zakopane. Ainda assim, com apenas um dia disponível, vale a pena visitar para completar a subida até ao Morskie Oko, o maior lago das Montanhas Tatra.

Parque Nacional de Ojców – Para além de poderes explorar este enorme parque natural, podes também caminhar até ao Pieskowa Skala, porventura o mais famoso dos 20 castelos atravessados pelo Trail of the Eagle’s Nests.

Wroclaw – Embora o tempo possa ser curto para a quantidade de locais a visitar, não deixa de valer a pena passar em Wroclaw se o puderes apenas fazer numa day trip. Com a sua enorme comunidade estudantil e um centro histórico bastante bonito, esta é uma das minhas cidades polacas favoritas.

Seguro de Viagem Cracóvia 🇵🇱

Para contratar o teu seguro de viagem, aconselhamos a IATI, com uma excelente gama de seguros, incluíndo aquela que é, provavelmente, a melhor cobertura do mercado. 

Se reservares connosco, através deste link, tens 5% de desconto no teu seguro e, ao mesmo tempo, dás-nos uma ajuda preciosa 🙂

Consulta do Viajante

Aconselhamos a marcar a tua consulta na Consulta do Viajante Online. Insere o código flamingo para teres 5% de desconto em consultas para 2 ou mais pessoas.

Tours & Atividades

Reserva já os teus tours ou atividades no Viator, do grupo Tripadvisor! E ao fazê-lo estás-nos a dar uma grande ajuda 🙂

Queres receber notificações acerca de novas ofertas?

Regista-te e decide a frequência de envio. Não vamos enviar spam!

Sugestões de viagem