Guia de viagem de Roma, Itália – O que fazer em 3 dias na Cidade Eterna 🇮🇹

  • 14.06.2023 22:30
  • Bruno A.

Guia de viagem de Roma que inclui informações acerca de hotéis, restaurantes e transportes entre aeroportos e cidade, bem como um roteiro completo de 72 horas. O itinerário menciona tudo o que ver e fazer em Roma em 3 dias, com destaque para as principais atracções e pontos turísticos.

Queres receber notificações acerca de novas ofertas?

Regista-te e decide a frequência de envio. Não vamos enviar spam!

Apelidada de “Cidade Eterna”, Roma é um destino com mística. Inundada de uma história arqueológica milenar e lar de uma das Sete Maravilhas do Mundo, não admira que milhões de visitantes descendam todos os anos em plena capital transalpina para admirar as maravilhas do Coliseu de Roma, explorar a Basílica de São Pedro ou simplesmente relaxar numa das piazzas pedestres enquanto desfrutam de um gelato.

Apesar da sua extrema popularidade e das constantes enxurradas de turistas, haverá no mundo poucos destinos com tanto para oferecer, e a lista de coisas para ver e fazer em Roma nunca parece ter fim.

Posto isto, convidamos-te a ler o nosso guia de viagem de Roma e descobrir o que de melhor a capital italiana tem à tua espera, incluindo hotéis, restaurantes, dicas de segurança e ainda um roteiro completo de 3 dias com tudo o que deves visitar em Roma.

Guia de Viagem de Roma

Ryanair avião

Como chegar a Roma – Voos de Portugal para Roma

Atendendo à fama global deste destino, a capital italiana é servida por 2 aeródromos internacionais: o Aeroporto Roma-Fiumicino, considerado o maior e mais importante; e o Aeroporto Roma-Ciampino, base principal entre as companhias low-cost europeias.

Assim, é possível voar directamente de Portugal para os diferentes aeroportos romanos através das seguintes cidades:

  • Roma-Fiumicino
    • Lisboa (TAP)
    • Porto (Wizz Air)
    • Faro (Ryanair)
    • Funchal (Wizz Air)
  • Roma-Ciampino
    • Lisboa (Ryanair)
    • Porto (Ryanair)

Guia de viagem de Roma – Melhor altura para visitar Roma

À semelhança de outros destinos europeus situados longe da costa, a melhor altura para visitar Roma coincide com a chamada “shoulder-season”, normalmente correspondente aos meses de Primavera e Outono. Embora estes meses sejam mais propensos ao aparecimento de aguaceiros, esta ínfima possibilidade continua a ser um mal menor quando comparada com as temperaturas extremas do resto do ano.

Durante o pico do Verão, não é incomum ver os termómetros de Roma a ultrapassarem os 30 graus, o que, aliado às grandes enchentes e multidões habituais deste período, torna toda a experiência consideravelmente menos prazerosa. O mesmo se aplica às filas para compra de bilhetes e entrada nos principais pontos turísticos, com o tempo de espera a aumentar exponencialmente. No sentido contrário, o Inverno pode ser uma excelente opção para visitar a “Cidade Eterna”. Embora o tempo esteja mais frio e possas sempre correr o risco de um ou outro aguaceiro, as filas serão bastante mais pequenas, as ruas estarão menos movimentadas e os preços de alojamento bastante mais simpáticos. Uma hipótese a considerar!

Guia de viagem de Roma – Documentos necessários

Uma vez que continuarás dentro da União Europeia, não te é exigida a apresentação de passaporte para poderes viajar, bastando apenas que estejas na posse de cartão de cidadão válido.

Descobre mais: Vais viajar e tens o Passaporte ou Cartão de Cidadão caducado ou perdido? Vê aqui o que podes fazer

Guia de viagem de Roma – Roaming em viagem

Estando o país vinculado às regras de roaming da UE, não te será cobrada qualquer taxa de roaming durante a tua visita a Roma.

Assim sendo, poderás simplesmente utilizar o teu cartão (quase) como se estivesses em Portugal (os dados das apps que as operadoras portuguesas contam num plafond separado, passam a contar para o teu plafond principal de dados. Isto significa que se tiveres 5GB de dados + 15GB para apps, enquanto estiveres em Roma esses dados vão ser retirados aos 5GB e não aos 15GB).

Guia de viagem de Roma – Taxas bancárias e orçamento de viagem

Uma vez que a Itália faz parte da Zona Euro, o conjunto de países onde é utilizada a moeda única, poderás utilizar o teu cartão de crédito/débito português para fazer levantamentos e pagamentos no destino sem que te seja cobrada qualquer taxa de conversão.

Assim sendo, terás apenas que ter em atenção potenciais taxas cobradas pelo banco emissor da própria caixa automática onde fizeres o levantamento. Contudo, e sempre que haja lugar ao pagamento de qualquer comissão deste tipo, essa informação é descortinada antes de confirmares o levantamento, o que significa que podes sempre cancelá-lo e procurar outra caixa. Tem especial atenção às caixas da Euronet, que cobram uma comissão fixa por levantamento com cartão estrangeiro.

Por outro lado, se precisas de ajuda a manter o orçamento de viagem sob controlo, recomendamos neste guia de viagem de Roma a utilização do cartão Revolut. Ainda que neste país não possas usufruir da principal vantagem deste produto – levantamentos em moeda estrangeira sem taxas de conversão – continua ainda assim a ser uma ferramenta útil.

Através da aplicação do banco online, terás acesso imediato a todos os gastos e ao saldo da tua conta, monitorizando assim os teus gastos diários. Para além disso, poderás carregar o cartão apenas com o valor que esperas gastar (por dia ou na viagem), evitando assim que gastes mais do que aquilo que esperavas e limitando também o valor que podes perder em caso de roubo ou fraude.

Descobre mais: Dicas para viajantes: Tudo que precisas de saber sobre o Cartão Revolut

Guia de viagem de Roma – esquemas e burlas mais comuns em Roma

Fazendo jus ao seu estatuto de capital administrativa e turística de Itália, Roma é uma cidade extremamente segura. Assim sendo, bastar-te-á utilizar apenas o senso comum e não terás problemas de maior. Cuidado com os veículos sem taxímetro, tem especial atenção aos teus pertences em zonas movimentadas e nunca aceites ajudas de ninguém quando estiveres a utilizar o multibanco. No fundo, não faças nada que não farias em nenhuma outra cidade do mundo!

Para além disso, deverás ignorar qualquer oferta que te seja feita por um transeunte ou vendedor de rua, seja ela uma pulseira ou uma rosa. Nestes casos, é bastante comum que a pessoa em questão te pouse um objecto no colo ou no ombro e depois não o aceite de volta, compelindo-te (de forma simpática) a deixar uma pequena contribuição. Se isto te acontecer, simplesmente pousa o objecto no chão e continua a andar. No mesmo sentido, ignora qualquer abordagem que vise a tua assinatura para uma petição. Embora disfarçadas de causas nobres, estas ocorrências têm como único objectivo convencer-te a doar dinheiro para uma instituição ou iniciativa que não existe. Já relativamente às extensas filas que provavelmente encontrarás junto das atracções mais emblemáticas, e por mais tentadora que seja a oferta, ignora as investidas dos vários locais que estejam a vender bilhetes a preços mais caros que os oficiais para que os turistas possam entrar mais rápido. Não só estarás a correr o risco de adquirir um ingresso falso, como estarás a alimentar uma prática extorsionária.

Também junto às zonas mais turísticas, tem especial cuidado com os menus dos cafés/restaurantes. Existem vários relatos online de clientes que fizeram os seus pedidos com base nas sugestões do empregado e sem consultar o menu, acabando com uma desagradável surpresa ao ver a conta.

Onde dormir em Roma – Hotéis e Alojamentos em Roma

Embora seja uma das cidades mais visitadas do mundo, a verdade é que os preços do alojamento em Roma são surpreendentemente baixos quando comparados com os que encontrarás noutras cidades europeias incrivelmente populares, como Paris, Londres, Amesterdão ou Barcelona. Não que sejam propriamente baratos, mas a verdade é que, com pesquisa e paciência, é perfeitamente possível encontrar boas opções.

Posto isto, e se estás a priorizar a busca de um sítio para dormir na capital italiana, deixamos-te uma sugestão para cada categoria de classificação no nosso guia de viagem de Roma:

Nota: Se usares os links acima para fazer as reservas do teu alojamento, estás-nos a dar uma ajuda preciosa sem pagar mais por isso 🙂

Guia de viagem de Roma – Transporte entre os aeroportos de Ciampino/Fiumicino e o centro da cidade

Como ir do Aeroporto Fiumicino ao centro de Roma:

  • Comboio Leonardo Express
    • Duração: 32 minutos
    • Preço: 14,00€
    • Frequência: Entre 15 a 30 minutos de espera, operando entre as 05h30 e as 23h50
    • Destino: Estação Termini
    • Compra de bilhetes: Trenitalia

Alternativamente, podes também apanhar um comboio regional no aeroporto de Fiumicino até às estações Roma Trastevere, Roma Tiburtina ou Roma Ostiense, e fazer transbordo em qualquer uma delas rumo a Termini. O custo total do trajecto será de 8,00€, e a duração da viagem rondará os 55 minutos.

  • Autocarro Shuttle
    • Duração: 50 minutos
    • Preço: 6,00€ ida (ou 11,00€ ida-e-volta)
    • Frequência: Entre 15 a 40 minutos de espera, operando entre as 08h30 e a 00h30.
    • Destino: Estação Termini
    • Compra de bilhetes: SIT Bus ou Terravision

Como ir do Aeroporto Ciampino ao centro de Roma:

  • Autocarro Shuttle
    • Duração: 45 minutos
    • Preço: 6,00€ ida (ou 11,00€ ida-e-volta)
    • Frequência: Entre 30 a 60 minutos de espera, operando entre as 08h15 e a 22h30.
    • Destino: Estação Termini
    • Compra de bilhetes: Terravision
  • Ciampino AirLink (autocarro até Ciampino + comboio até Termini)
    • Duração: 35-40 minutos
    • Preço: 2,70€
    • Frequência: Entre 10 a 30 minutos de espera, operando entre as 06h15 e a 22h40.
    • Destino: Estação Termini
    • Compra de bilhetes: Trenitalia
  • Autocarro Público 720 + Metro até Termini
    • Duração: 50-55 minutos
    • Preço: 1,50€ (válido para autocarro e metro)
    • Frequência: A cada 20 minutos, operando entre as 06h00 e a 23h30.
    • Destino: Estação de Metro Laurentina, seguido de metro até à Estação Termini
    • Compra de bilhetes: Nas máquinas automáticas do terminal de chegadas, no Ponto de Informações Zètema ou no Ponto de Vendas da Chef Express (todos no interior do aeroporto)

Guia de viagem de Roma – Transportes públicos em Roma

Embora Roma seja servida por uma rede de transportes relativamente abrangente e diversificada, a verdade é que o seu centro histórico é relativamente compacto, sendo perfeitamente possível caminhar entre todas as principais atracções.

Ainda assim, e caso precises de utilizar transportes públicos, é provável que não vás para além do metro, uma vez que a utilização de autocarros, eléctricos e comboios regionais é quase exclusivamente feita por locais, ligando o centro e as áreas empresariais da capital italiana aos subúrbios onde reside a maioria da população.

Metro de Roma – Mapa, preços e bilhetes diários

Considerando a fama da cidade, não deixa de ser surpreendente o facto de que o metro de Roma seja apenas composto por 3 linhas distintas, tendo a última (Linha C) sido inaugurada apenas em 2014. Não obstante, o par de inicial de rotas (linha A e B) cobre praticamente todo o centro histórico da capital italiana, sendo por isso bastante útil do ponto de vista turístico.

O metro está disponível diariamente, operando entre as 05h30 e as 23h30, sendo o horário prolongado até à 01h30 durante as noites de 6ª e sábado.

No que toca aos bilhetes, cada título único tem o custo de 1,50€, permitindo-te trocar de linha e percorrer qualquer percurso entre duas estações. No entanto, se contas utilizar o metro de forma recorrente, então poderá valer a pena analisar as ofertas diárias e multi-diárias da plataforma:

  • 24 horas: 7,00€
  • 48 horas: 12,50€
  • 72 horas: 18,00€

Tem em atenção que, após a primeira validação, o passe é válido durante um período ininterrupto de 24, 48 ou 72 horas (consoante a tua escolha). Isto significa que se validares um bilhete de 24h às 14h00 de Sábado, o título será válido até às 13h59 de Domingo (e não apenas até às 23h59 de Sábado). Para além disso, todos os bilhetes são igualmente válidos em autocarros e eléctricos.

Como opção alternativa, poderás ao invés optar por um Roma Pass. Disponível para períodos de 48 (32,00€) ou 72 horas (52,00€), estes passes incluem viagens ilimitadas de transportes públicos para os períodos contemplados, descontos em atracções seleccionadas e ainda entradas em atracções arqueológicas ou museus, incluíndo o Coliseu e o Castel Sant’Angelo (1 para o passe de 48h; 2 para o de 72h).

Guia de viagem de Roma – Tesouros Escondidos de Roma

Com 3 dias em Roma, e embora a quantidade de locais a visitar na cidade roce o inacreditável, é possível passar a fio as principais atracções romanas.

Não obstante, e porque acreditamos que um bom turista deve sempre ser capaz de espreitar por detrás da cortina, tomámos a liberdade de mencionar alguns sítios menos óbvios que deverás juntar à tua lista de coisas para ver e fazer em Roma:

  • Arquibasílica de San Giovanni in Laterano
  • Quarteirão de Trastevere
  • Villa Borghese
  • Necrópole Vaticana
  • Via Appia
  • Quartiere Coppede
  • Termas de Caracalla
  • Catacumbas de Roma
  • Igreja de Santo António dos Portugueses
  • Colina Aventina e “Buraco da Fechadura”
  • Scala Sancta

Guia de viagem de Roma – Roteiro de 3 dias em Roma

Como seria de esperar, 3 dias nunca seria suficiente para ficar a conhecer a fundo uma cidade tão extraordinária quanto Roma. Não obstante, e muito à conta da proximidade entre os seus principais pontos turísticos, chega a ser surpreendente a quantidade de locais que é possível palmilhar numa visita de apenas 72 horas à capital transalpina.

Posto isto, fica com o nosso guia de viagem e descobre o que ver e fazer em Roma em 3 dias:

Guia de viagem de Roma: Dia 1 – O Coliseu de Roma

Para dar início à tua aventura pela capital transalpina, nada melhor que começar pelo seu principal símbolo! Afinal, de certeza que a antecipação dos dias anteriores já será grande, pelo que não há necessidade de adiar ainda mais o teu encontro com uma das Sete Maravilhas do Mundo. Não obstante, e para optimizar o teu percurso, a tua primeira paragem do dia terá lugar na Arquibasílica de San Giovanni in Laterano, que apesar de ser uma das mais belas e importantes igrejas de Roma (é, oficialmente, a sé do Bispo de Roma – o Papa), recebe bastante menos visitantes que as suas congéneres do Vaticano ou de Trastevere. Depois sim, é então tempo de arrepiar caminho até ao famosíssimo Coliseu de Roma (16,00€ + taxa de 2,00€ p/ compra online – se não quiseres estar horas nas filas para a bilheteira, compra online), um local de tal forma emblemático, que basta uma simples fotografia para qualquer leigo conseguir identificar um monumento desta natureza. Meus senhores: há sítios bonitos, há sítios impressionantes, e depois há sítios especiais. O Coliseu é, de facto, bonito e impressionante, mas é acima de tudo portador de uma aura muito própria que faz desta, porventura, a maior atracção turística do Velho Continente. Nas imediações, aproveita também para visitar o Arco de Constantino.

Após visitares o famoso anfiteatro, poderás utilizar o mesmo bilhete para explorar os dois maiores complexos arqueológicos da cidade: o Fórum Romano e o Monte Palatino. No primeiro, poderás percorrer as mesmas ruas e vias que os cidadãos da Roma Antiga palmilhavam há milénios, e imaginar, através das inúmeras ruínas em exposição, a riqueza e magnitude da capital de um dos maiores e mais importantes impérios que a Humanidade alguma vez conheceu. Já o Monte Palatino, situado no topo de uma das sete colinas de Roma, com vistas sobre o Fórum, diz respeito ao local onde foi erguido o primeiro povoado em terras romanas, com mais um conjunto absolutamente fabuloso de jardins e ruínas de templos, residências ou banhos termais.

Quando sentires que já satisfizeste todos os teus impulsos arqueológicos, é tempo de deixar as ruínas da Roma Antiga para trás e visitar o Monumento a Vittorio Emanuele II, terminado apenas em 1935 e construído em honra do primeiro monarca a reinar sobre uma Itália unificada. Também conhecido como o “Altar da Pátria”, a entrada no monumento em si é gratuita, embora seja necessário pagar um bilhete de 12,00€ caso queiras subir ao terraço panorâmico ou visitar os dois museus albergados no seu interior. Bem ao lado, podes também fazer uma passagem rápida na Piazza del Campidoglio. Por fim, irás dar o teu dia por terminado no animado Quarteirão de Trastevere, considerado um dos bairros mais pitorescos e boémios da “Cidade Eterna”. Para além das ruas medievais, igrejas históricas e miradouros, o bairro é também conhecido pela vasta oferta de bares e restaurantes.

Resumo do 1º dia:

  • Arquibasílica de San Giovanni in Laterano
  • Coliseu de Roma
  • Arco de Constantino
  • Fórum Romano
  • Monte Palatino
  • Monumento a Vittorio Emanuele II
  • Quarteirão de Trastevere

Restaurantes baratos em Trastevere e junto ao Coliseu:

Guia de viagem de Roma: Dia 2 – Centro Storico

Amanhecendo em Roma, hoje irás explorar o centro histórico da capital italiana! Contudo, e à semelhança do dia anterior, a tua primeira paragem terá lugar em mais uma igreja monumental, desta feita na inigualável Basílica de Santa Maria Maggiore. Após admirares os seus mosaicos com quase 2000 anos de história, é então tempo de seguir para o Centro Storico, um labirinto de ruelas estreitas e fachadas clássicas em tom pastel, pontuadas com a presença de enormes piazzas e monumentos. Um desses monumentos é precisamente a icónica Fontana di Trevi, um dos locais mais visitados de Roma. Após admirares a gigantesca fonte, cumpre o ritual da praxe e atira a moeda por cima do ombro para garantires que um dia regressarás à “Cidade Eterna”. Não sabemos se resulta, mas porquê arriscar?

Segue-se uma visita à Piazza Navona, a praça barroca mais conhecida da cidade, construída precisamente no mesmo local onde se costumava encontrar um hipódromo (o formato ainda é o mesmo), e um desvio até ao Panteão, outro dos pontos mais emblemáticos da capital italiana, e o edifício mais bem preservado da Roma Antiga. Finalmente, irás continuar a percorrer as adoráveis vias do centro histórico e fazer a tua última paragem do dia na Escadaria da Piazza di Spagna. Embora não sejam particularmente altas, a vista do topo é uma das mais fotografadas da cidade.

Resumo do 2º dia:

  • Basílica de Santa Maria Maggiore
  • Centro Storico
  • Fontana di Trevi
  • Piazza Navona
  • Panteão
  • Escadaria da Piazza di Spagna

Restaurantes baratos no Centro Storico:

Guia de viagem de Roma: Dia 3 – Vaticano

Apesar da sua superlativa fama que faz de Roma uma das cidades mais populares do planeta, a verdade é que visitar a capital italiana é sempre, na verdade, uma experiência 2 em 1. Afinal, que outras cidades conheces onde, em pleno centro, podes caminhar pela fronteira de um outro estado soberano? Falo, pois claro, do Vaticano, oficialmente o país mais pequeno do mundo. Como seria de esperar, ou não fosse este o assento papal, toda a micronação está fortemente imbuída na doutrina cristã, com principal epicentro na mundialmente conhecida Basílica de São Pedro. Apesar das longas filas de espera, é possível entrar naquela que é a mais importante igreja católica do mundo gratuitamente, embora a subida à cúpula tenha um custo de 8,00€. Se por acaso visitares a praça a um Domingo, poderás ver o Papa ao meio-dia, hora em que recita uma oração a partir da janela. Por outro lado, as multidões estarão bem piores que o costume nesta ocasião. Depois de vista a basílica, não podes perder a oportunidade de visitar os Museus do Vaticano (17,00€ + taxa de 5,00€ p/ compra online) uma das colecções mais ricas e extensas do mundo. Para além da qualidade e fama de muitas das obras, o próprio espaço é absolutamente incrível, e tão ou mais opulento que os grandes palácios reais da Europa. Evidentemente, não podes perder a chance de ver a Capela Sistina com os teus próprios olhos.

De “volta” a Roma, irás explorar o Castel Sant’Angelo (14,00€), um enorme castelo que já serviu de mausoléu a Imperadores Romanos, de residência papal e até de fortaleza defensiva, sendo hoje considerado um museu nacional. Para lá da imbatível vista sobre as águas do Rio Tibre, o castelo esconde os luxuosos apartamentos papais, um arsenal de colecção e até mesmo um conjunto de antigas masmorras. Finalmente, e com o teu tempo em Roma a caminhar para o final, irás despedir-te da “Cidade Eterna” com um passeio pela fabulosa Villa Borghese, situada junto à também impressionante Piazza del Popolo. Considerada um dos maiores parques romanos, é o local perfeito para um passeio solene em jeito de despedida. Chamemos-lhe, porém, um “até já”. Afinal, e acreditando que Roma faz jus ao seu epíteto, a cidade continuará por cá até ao fim dos nossos dias.

Resumo do 3º dia:

  • Vaticano
  • Basílica de São Pedro
  • Museus do Vaticano
  • Capela Sistina
  • Castel Sant’Angelo
  • Villa Borghese
  • Piazza del Popolo

Restaurantes baratos no Vaticano (+arredores) e perto da Piazza del Popolo:

Estadias superiores a 3 dias em Roma? Então podes considerar alguma das seguintes day trips:

Seguro de Viagem

Para contratar o teu seguro de viagem, aconselhamos a IATI, com uma excelente gama de seguros, incluíndo aquela que é, provavelmente, a melhor cobertura do mercado. 

Se reservares connosco, através deste link, tens 5% de desconto no teu seguro e, ao mesmo tempo, dás-nos uma ajuda preciosa 🙂

Consulta do Viajante

Aconselhamos a marcar a tua consulta na Consulta do Viajante Online. Insere o código flamingo para teres 5% de desconto em consultas para 2 ou mais pessoas.

Tours & Atividades

Reserva já os teus tours ou atividades no Viator, do grupo Tripadvisor! E ao fazê-lo estás-nos a dar uma grande ajuda 🙂

Queres receber notificações acerca de novas ofertas?

Regista-te e decide a frequência de envio. Não vamos enviar spam!

Sugestões de viagem