18 regras de etiqueta para a boa convivência durante o voo ✈️💁

  • 05.02.2024 18:50
  • Paulo

Torna-te no passageiro que desejas ver no mundo com estas regras de etiqueta a bordo!

Queres receber notificações acerca de novas ofertas?

Regista-te e decide a frequência de envio. Não vamos enviar spam!

Poucas circunstâncias testam a nossa capacidade de convivência em sociedade como viajar num avião.

Durante várias horas, partilhamos um espaço bastante reduzido com centenas de estranhos. Crianças e bebés, festivaleiros ainda de ressaca, turistas cansados e trabalhadores em viagem de negócio – todos obrigados a coabitar na cabine do avião, sem pausas para tomar ar.

Para manter a paz e a harmonia nos céus, trazemos-te 18 regras para a boa convivência a bordo.

Não sejas tópico de abertura do telejornal

Começamos pelo mais óbvio. Perder a cabeça é mau em qualquer situação. Dentro de um avião, é especialmente grave e possivelmente crime.

Há regras dentro do avião que são mesmo para cumprir e que não vale a pena protestar se fores apanhado a violá-las. Por exemplo: não fumar, seja cigarros ou vapes, seja no assento ou na casa-de-banho. Não há traça que justifique acabar a pagar uma multa ou mesmo a ser detido.

Discussões com outros passageiros ou com assistentes de bordo são altamente desencorajadas. Por maior que tenha sido a ofensa, lembra-te que estás num espaço fechado, onde uma pequena confusão pode rapidamente virar pânico coletivo.

E por tudo que é mais sagrado, não tentes abrir a porta do avião.

Facilita a vida dos assistentes de bordo

Não é fácil ser assistente de bordo. De limpar a cabine até garantir a segurança dos passageiros em caso de emergência, as responsabilidades que recaem sobre os assistentes de bordo são muitas e variadas.

Por isso, devemos tentar facilitar o seu trabalho ao máximo. Mesmo quando há razão de queixa, lembra-te que os assistentes de bordo não têm culpa pelos atrasos ou erros da companhia aérea – pelo contrário, muitas vezes são tão prejudicados quanto os passageiros.

E não te esqueças de dar um olá à tripulação na hora do embarque e de agradecer durante o desembarque. É bem mais apreciado do que as palmas depois da aterragem.

Coopera na hora de arrumar a bagagem

A azáfama de colocar e retirar a bagagem do compartimento superior requere a maior colaboração entre passageiros e com os assistentes de bordo. Considera estender uma mão a quem tem mais dificuldades.

Não tenhas problema em rearranjar um pouco os objetos que já estão no compartimento para criar espaço para a tua mala, mas tem cuidado ao revirar e espremer a bagagem dos outros – o melhor é pedir a sua autorização ou a ajuda de um assistente de bordo.

Também é importante lembrar que é possível que nem tudo caiba no compartimento, e que é possível que tenhas de viajar com a tua bagagem de mão aos teus pés.

Não assumas que os outros estão disponíveis a trocar de lugar

Hoje em dia, muitas companhias aéreas colocam quem compra os bilhetes em conjunto em filas diferentes, para tentar obrigar os passageiros a pagar pelo luxo de se sentarem junto aos seus companheiros de viagem.

Por este motivo, os pedidos para troca de lugar são frequentes. Será educado pedir para trocar e será educado recusar fazê-lo? Sim, a ambos.

Perguntar não ofende desde que seja de forma educada. Mas lembra-te que a pessoa a que estás a pedir para trocar de lugar pode ter pago extra por este ou pode ter uma preferência, por exemplo em sentar-se no assento do corredor.

Em resumo, quem quer trocar de lugar pode sempre fazer a pergunta mas deve estar preparado para ouvir um não. Já quem está no lugar cobiçado, está à vontade para aceitar ou recusar, sem receio de ser rude.

Não bloqueies o corredor

Sempre que possível, não ocupes o corredor. Quer seja durante o embarque ou desembarque ou durante o voo, o corredor deve ser uma zona de passagem, para que os passageiros possam circular até ao seu assento e aceder à casa-de-banho, e para que os assistentes de bordo possam fazer o seu trabalho.

Não há problema em levantares-te de vez em quando para esticar as pernas – pelo contrário, é até aconselhado, a bem da tua saúde. Mas verifica sempre que não há ninguém a querer passar, e não fiques simplesmente à conversa no meio do corredor.

Já agora, se te calhou o assento do corredor, evita também obstruir o corredor com os pés ou com a tua bagagem de mão.

Facilita a vida a quem viaja no meio

Todos estamos de acordo que o lugar do meio é o pior – não tem a vista nem uma superfície para encostar a cabeça como o assento à sua direita, nem tem o acesso privilegiado ao corredor do assento à sua esquerda.

(Se discordares, estou aberto a trocas!)

Há que ser um bom samaritano e tornar a vida de quem viaja no meio um pouco menos miserável. Dar a possibilidade a quem se senta no meio de usar os dois suportes para o braço é o mínimo de caridade.

Levanta-te para deixar passar

Ficar no assento do corredor tem as suas vantagens. Melhor acesso à comida e bebida, ninguém a bloquear a passagem para a casa-de-banho e a possibilidade de esticar as pernas com mais frequência (mas sem obstruir o corredor!).

Mas também tem algumas responsabilidades. Uma delas é deixar passar os teus vizinhos. O melhor é mesmo levantar-te e dar a passagem, ao invés de tentar encolher os joelhos e obrigar a outra pessoa a esgueirar-se por entre as tuas pernas e o banco da frente.

E se adormeceres no assento do corredor ou do meio, não podes ficar chateado se te acordarem a pedir para passar. Se sabes que vais querer dormir, o melhor mesmo é comunicares isso a quem está ao teu lado, e talvez a pessoa também facilite a tua vida também. 

Se estás no assento do meio ou da janela, gere bem as tuas idas ao corredor

Esta regra é o outro lado da moeda da anterior. Se é verdade que devemos facilitar a passagem a quem quer aceder ao corredor, também devemos evitar fazer com que os outros se levantem.

Uma coisa é levantares-te para ir à casa-de-banho, aceder uma ou outra vez à tua bagagem ou esticar um pouco as pernas depois de várias horas de voo. Outra é levantares-te constantemente para ir falar com alguém do outro lado do avião ou tirar um objeto de cada vez da tua bagagem.

Planeia bem o que queres ter à mão durante a viagem e o que preferes manter no compartimento superior. Lembra-te que mesmo se estiver calor durante a descolagem, o ambiente nos aviões tende a ficar mais frio durante o voo, por isso convém manter contigo algumas camadas de roupa.

Temos de ter paciência com as crianças…

Crianças a bordo é um tópico sensível. Há até uma companhia aérea que teve a ideia de criar uma zona livre de crianças dentro dos seus aviões.

Uma criança mais hiperativa ou birrenta pode ser um pesadelo para quem quer descansar um pouco durante o voo. Mas é preciso ter um pouco de compreensão, principalmente quando é claro que os pais da criança estão ativamente a tentar melhorar a situação.

Se a criança está a fazer algo que te incomoda diretamente, tenta falar com os pais de forma calma e sem criar confronto desnecessário. Pelo contrário, não comeces a conversa com comentários sobre “falta de educação” – não há nada pior para escalar uma situação e deixar os pais na defensiva do que questionar os seus atributos parentais.

Já agora, lembra-te que as viagens de avião são especialmente desconfortáveis para os bebés, que sofrem mais do que os adultos com a pressão nos ouvidos, por isso é normal ouvir muito choro, principalmente durante a descolagem e aterragem.

… mas os pais também têm responsabilidades

Viajar com a criançada é um desafio, e não há dúvida, como defende a regra anterior, que pais e crianças merecem compreensão e paciência por parte dos outros passageiros.

Mas aos pais também se pede que tentem acomodar os outros passageiros. Isto significa certificarem-se que as crianças têm brinquedos ou livros para se entreterem (mas por favor, Baby Shark em loop no altifalante é bastante indesejável!).

É ótimo promover a curiosidade por explorar o ambiente em volta de uma criança, mas o avião é uma exceção. Tenta manter as crianças no assento, e se elas precisarem de um bocado de movimento, deixa-as andar um pouco no corredor, mas com supervisão.

Conversar com o vizinho é OK, mas sem aborrecer

Conversar com a pessoa do lado pode ser uma boa forma de passar o tempo. Se for alguém que reside no teu destino, pode ser até uma oportunidade para recolher algumas dicas.

Mas a regra no que toca à conversa no avião é que é preciso ter tato e perceber se a outra pessoa quer de facto conversar. Se o teu vizinho está com auriculares ou com uma venda para os olhos na mão, então provavelmente é porque prefere ser deixado em paz.

E lembra-te, se a conversa azedar, não há por onde escapar. Por isso, é melhor não entrar logo ao ataque com temas polémicos.

Se vais tirar os sapatos, fá-lo discretamente

Idealmente, devíamos manter todos os sapatos calçados. As carpetes das cabines de avião não são exatamente a superfície mais limpa de sempre, e juntar o cheiro do nosso chulé aos outros 1.001 odores que já circulam no avião é desnecessário.

Mas os voos são longos, o sangue desce, os pés incham, e há momentos em que se torna quase irresistível tirar o sapatos.

Se vais tirar os sapatos, não tires também as meias (talvez o melhor seja mesmo calçar umas meias limpas antes do voo) e mantem os pés no chão. Quando tiveres de ir à casa-de-banho, coloca novamente os sapatos até porque o liquido no chão da casa-de-banho não é só água do lavatório.

Os auriculares são indispensáveis

Se em qualquer transporte público já é uma boa prática, no avião não há mesmo exceções. Se queres ouvir música ou ver uma série no teu telemóvel, então tens mesmo de trazer um par de auscultadores contigo.

Por melhor que seja o teu gosto cultural, ninguém quer passar o voo a ouvir a tua playlist, ou acordar com rajadas de tiros porque decidiste que era uma boa altura para ver o último John Wick.

E com mais aviões a disponibilizar Wi-Fi, gratuito ou pago, vale a pena também especificar que chamadas em alta-voz são outro atentado à tranquilidade aérea.

Petisca, mas não infestes o ar

A maior parte das companhias aéreas não levanta problemas a quem trás comida de casa ou do terminal do aeroporto. Mas a cabine de um avião é um local fechado por isso, se vais trazer comida para bordo, evita os cheiros fortes.

Para além disso, evita também alimentos que possam ser entornados. É impossível prever a turbulência e ninguém quer passar um voo coberto de caldo verde, enfeitado com umas rodelinhas de chouriço.

E já agora, isto não é tanto uma regra de etiqueta mas um cuidado a ter que pode evitar grandes problemas a uma fatia da população: há quem tenha alergias a nozes ou a marisco que se podem desencadear só com cheiro ou contacto com a pele. Se poderes, evita levar estes alimentos, já que mesmo sendo raras, reações alérgicas destas num avião podem ser um pesadelo.

Respeita o espaço pessoal dos outros (mas tem em conta que vai ser sempre apertado)

Encontrar uma posição confortável no assento do avião é um desafio, principalmente quando queremos tentar fazer uma sesta. Mas pelo menos devemos fazer um esforço para não estar constantemente a cutucar o nosso vizinho do lado

Também com o nosso vizinho da frente é preciso ter alguns cuidados. Joelhadas no assento ou pontapés no calcanhar são motivo para cartão tanto dentro do campo como na cabine.

Dito isto, também não vale a perder a cabeça porque te tocaram levemente no cotovelo. Nem todos temos a melhor coordenação motora – os meus professores de educação física foram testemunhas – e num espaço apertado o contacto físico é quase inevitável.

Reclinar ou não o banco

Esta é talvez a questão de etiqueta no avião que mais controvérsia gera. A tal ponto que já escrevemos um artigo sobre o assunto: É rude reclinar o banco quando temos alguém a viajar atrás de nós?

Para recapitular, há quem defenda que é sempre rude reclinar, há quem diga que se deve perguntar primeiro a quem está atrás de nós, e também há quem insista que não existe qualquer necessidade em perguntar.

Não vai ser aqui que vais ler um veredito final – mas fica um conselho: no mínimo, tenta perceber se o passageiro de trás não tem objetos frágeis ou comida no tabuleiro – é meio caminho para evitar um desastre.

Sê cordial na hora de usar a casa-de-banho

Há poucos sítios menos agradáveis que a casa-de-banho de um avião. É um espaço claustrofóbico que serve centenas de pessoas, nem todas com a melhor pontaria 🤮.

Tenta sempre deixar a casa-de-banho, pelo menos, como a encontraste. Puxa o autoclismo (é mesmo preciso dizer?) e passa um papel para limpar as gotas de água que saltaram do lavatório.

E tem empatia pelos outros passageiros. Pior que uma dor de barriga, é uma dor de barriga a 10.000 pés de altitude com a casa-de-banho ocupada. Por isso, faz o que tens a fazer e dá a vez ao próximo!

Espera pelo sinal para te levantares

Mais um voo, e mais uma vez os assistentes de bordo são obrigados a dizer “por favor permaneçam sentados enquanto o sinal de cinto-de-segurança ainda está aceso”. A frustração na voz diz tudo.

Já aqui dissemos que deves manter o corredor desocupado e que deves seguir as indicações dos assistente de bordo, mas este é um comportamento tão frequente que vale a pena apontar especificamente.

Mantém-te no teu lugar até que o sinal de cinto-de-segurança se apague. Não saltes do assento mal o avião aterre para tentar ser a primeira pessoa a tirar a mala do compartimento superior – não vai ser isso que te vai poupar tempo.

Seguro de Viagem

Para contratar o teu seguro de viagem, aconselhamos a IATI, com uma excelente gama de seguros, incluíndo aquela que é, provavelmente, a melhor cobertura do mercado. 

Se reservares connosco, através deste link, tens 5% de desconto no teu seguro e, ao mesmo tempo, dás-nos uma ajuda preciosa 🙂

Consulta do Viajante

Aconselhamos a marcar a tua consulta na Consulta do Viajante Online. Insere o código flamingo para teres 5% de desconto em consultas para 2 ou mais pessoas.

Tours & Atividades

Reserva já os teus tours ou atividades no Viator, do grupo Tripadvisor! E ao fazê-lo estás-nos a dar uma grande ajuda 🙂

Queres receber notificações acerca de novas ofertas?

Regista-te e decide a frequência de envio. Não vamos enviar spam!

Sugestões de viagem