Petra, Jordânia – O que ver em 1 dia numa das Sete Maravilhas do Mundo 🇯🇴

  • 17.01.2023 19:20
  • Bruno A.

Apresentamos-te um artigo informativo sobre uma das Sete Maravilhas do Mundo, com informações práticas, dicas de transportes, preços de bilhetes e um itinerário completo com aquilo que deverás visitar se quiseres ver Petra em apenas 1 dia.

Queres receber notificações acerca de novas ofertas?

Regista-te e decide a frequência de envio. Não vamos enviar spam!

À boleia da popularidade ganha com a nomeação de Petra como uma das Sete Maravilhas do Mundo, a Jordânia é actualmente – a par do Egipto – o destino turístico mais popular do Médio Oriente. Rodeada de países vizinhos que veem pouco ou nenhum turismo, como Síria, Líbano ou Arábia Saudita, a nação Hachemita é um verdadeiro oásis no deserto, providenciando uma experiência confortável e segura, numa região do globo cuja fama prima pelo contrário.

Assim sendo, e para os milhões que visitam a Jordânia todos os anos, Petra está, naturalmente, no topo das prioridades. No entanto, e como sempre acontece em qualquer viagem, todos queremos optimizar e aproveitar ao máximo os curtos períodos de férias a que temos direito, levando a que muitos se questionem acerca de qual o número de dias ideal para se visitar Petra. A resposta a esse post dependerá sempre de gostos pessoais e ritmo de viagem, e por isso é impossível de ser respondida. O que este artigo pretende fazer é ajudar aqueles que têm apenas 1 dia para ver Petra a tirar o máximo partido da sua visita.

Assim, se estás de partida para a Jordânia e tens todo o teu tempo contadinho, descobre quais as principais atracções e o que ver em Petra em apenas um dia. Para além disso, incluímos também informações acerca de transportes, bilhetes, hotéis e restaurantes, bem como um conjunto de dicas práticas bastante úteis para quem está a planear visitar Petra, Jordânia.

História de Petra, Jordânia – Uma das 7 Maravilhas do Mundo

Na impossibilidade de contar mais de 2000 anos de história em 3 ou 4 parágrafos, é importante ressalvar que Petra foi construída (ou melhor dizendo, esculpida) pelos Nabateus, um importante império árabe pré-islâmico que construiu a sua riqueza através do controlo das rotas de comércio de incenso nesta região.

Foi no auge do seu poder e riqueza que os Nabateus começaram a esculpir alguns destes fantásticos monumentos directamente nas rochas e precipícios da depressão, aproveitando ainda para desenhar um complexo sistema de recolha e abastecimento de água da chuva que viria a apoiar a proliferação de vida na cidade. Para além de Petra, o mesmo império foi ainda responsável pela fundação de outras cidades que viraram, muitos séculos mais tarde, importantes marcos turísticos e históricos, como Bosra (Síria) e Hegra (Arábia Saudita).

Infelizmente, muito pouco foi documentado acerca das obras Nabateias, o que faz com que hoje em dia seja extremamente difícil descodificar o propósito ou as datas da esmagadora maioria dos edifícios que construíram. De qualquer das formas, a importância e independência de Petra foram sol de pouca dura, tendo os Nabateus sido conquistados pelos romanos, que, após um gigantesco terramoto, acabaram por abandonar o local juntamente com as tribos nativas.

Assim ficou o local durante quase 1500 anos, votado ao abandono e ao desconhecimento da população mundial. Contudo, a fortuna de Petra viria a mudar de vez, sendo finalmente (re)descoberta pelo explorador suíço Johann Ludwig Burckhardt em 1812, que depois espalhou a palavra pelo resto do planeta. Quase dois séculos mais tarde, e já após décadas de escavações e projectos, Petra finalmente abriu ao público como atracção turística de interesse histórico, tendo sido considerada Património Mundial pela UNESCO até receber a derradeira distinção de 2007 que a viria a considerar uma das Sete Maravilhas do Mundo.

Transportes – Como chegar a Petra, Jordânia

Embora a rede de transportes colectivos na Jordânia seja bastante limitada, sendo por isso um daqueles destinos onde o aluguer de carro faz uma diferença brutal na experiência, Petra é um dos poucos locais aonde é perfeitamente possível chegar de autocarro.

Operadas pela JETT, o grande player do mercado, as rotas Amman-Petra e Aqaba-Petra contam uma partida diária em cada direcção:

Amman-Petra-Amman

Aqaba-Petra-Aqaba

Não obstante, e conforme referido, alugar carro é de longe a melhor opção para quem pretende deslocar-se livremente pelo país em viagem, proporcionando maior conforto e flexibilidade. Poderás dar uma vista de olhos nas opções disponíveis através da Rentalcars.com

1 dia em Petra, Jordânia – Bilhetes Individuais vs Jordan Pass

Ou não se tratasse este de um dos monumentos mais reconhecidos em todo mundo, e sem dourar a pílula, visitar Petra é caro. Aqui, a questão sobre quantos dias são necessários para visitar Petra ganha também uma componente financeira, uma vez que o valor do bilhete dependerá do número de dias seleccionados:

  • Bilhete de 1 dia: 50 JOD (65,00€)
  • Bilhete de 2 dias: 55 JOD (71,50€)
  • Bilhete de 3 dias: 60 JOD (78,00€)

No entanto, o Ministério de Turismo da Jordânia disponibiliza uma modalidade especial que te permite acumular num único passe o valor do visto (40 JOD = 52€) e ainda a entrada em mais de 40 atracções do país durante um período máximo de 2 semanas (a partir da primeira validação), nas quais se inclui o acesso a Petra. Também aqui, os dias que pretendas passar em Petra irão ditar o preço final:

  • Jordan Pass c/ acesso de 1 dia a Petra: 70 JOD (91,00€)
  • Jordan Pass c/ acesso de 2 dias a Petra: 75 JOD (97,50€)
  • Jordan Pass c/ acesso de 3 dias a Petra: 80 JOD (104,00€)

Se nos focarmos apenas no passe que te permite ver Petra em 1 dia, o único que interessa para efeitos deste artigo, podes facilmente ver qual a poupança imediata face à compra do bilhete individual. Passo a explicar: Se não optares pelo Jordan Pass (link para compra online), terás que pagar separadamente o visto turístico aquando da tua chegada à Jordânia. Como já verificámos, esse visto tem o custo de 52€. Ou seja:

  • Bilhete de 1 dia em Petra: 50 JOD (65,00€)
  • Visto Jordânia: 40 JOD = (52,00€)
    • Total: 90 JOD (117€)
  • Jordan Pass c/ acesso de 1 dia a Petra: 70 JOD (91,00€)

Isto significa que com o passe estarás a poupar logo à partida 26€, não contando sequer com o que pouparás extra na admissão de outras atracções já incluídas nesta modalidade, como o Deserto de Wadi Rum, Jerash, a Cidadela de Amman ou o Castelos do Deserto.

Visitar Petra em 1 dia – Dicas e informações práticas

1. Petra é um complexo absolutamente gigantesco, por isso terás que fazer concessões e aceitar que não é viável ver tudo em 1 dia. Por isso, aproveita os locais que visitares e não te apresses a saltitar de ponto em ponto para tentares encaixar o maior número de sítios possível;

2. Muito importante. A localização da depressão é árida e montanhosa, como tal recomendamos que leves e água suficiente para o dia (faz um cálculo do que precisas e depois compra o dobro), uma vez que as temperaturas podem ser bastante altas.

3. Terás que caminhar longos períodos debaixo da torreira do sol, por isso deverás levar calçado confortável, roupa fresca e prática e, se fores particularmente sensível, um chapéu para cobrir a cabeça. Passar protector é obrigatório. Se fores entre final de Maio e meados de Setembro aconselhamos a dividir a visita em dois dias.

4. Ao longo de todo o circuito, serás interpelado por muitos vendedores que tentarão convencer-te a fazer parte do caminho a cavalo, camelo ou burro. Embora, no final de contas, a decisão seja tua, não sejas parolo(a) e tem em atenção que estes animais são muitas vezes mal tratados e explorados em prol dos dólares do turismo e a única verdadeira forma de isto acabar é a atividade deixar de ser rentável. Se presenciares alguma forma de maus tratos é também extremamente importante que reportes os mesmos imediatamente às entidades competentes.

5. Embora existam alguns pequenos cafés e restaurantes dentro de Petra, e como em praticamente todas as outras atracções turísticas, a comida tende a ser cara e medíocre. Até por uma questão de gestão de tempo, uma vez que terás apenas 1 dia em Petra, recomendo que prepares algumas sandes e vás petiscando pelo caminho.

5. Deixa o local em melhor estado do que o encontraste. Isto significa que deverás ter cuidado para não deixar qualquer vestígio de lixo ou dano no complexo. Isto passa também por respeitar a sinalização de restrição de acesso aos templos. Não interessa se gostavas muito de entrar. Se está vedado, é para ver de fora.

Alojamentos em Wadi Musa (Petra, Jordânia)

Mesmo optando por ver Petra em 1 dia, podes sempre passar a noite em Wadi Musa, seja porque queres começar o mais cedo possível, ou, no sentido contrário, ficar para assistir ao Petra by Night.

Seja como for, deixamos aqui algumas boas opções de custo-benefício em Wadi Musa, a cidade Jordana onde o complexo de Petra fica situado:

Nota: Se usares os links acima para fazer as reservas do teu alojamento, estás-nos a dar uma ajuda preciosa sem pagar mais por isso 🙂

Restaurantes em Wadi Musa (Petra, Jordânia)

Sendo este o local mais turístico da Jordânia, não é de estranhar que seja também a cidade onde o alojamento e a restauração tendam a ser mais caros, a não ser que não te importes de te ficar pelos locais mais simples e básicos.

No entanto, continua a ser possível encontrar locais que apresentem uma boa relação qualidade/preço, mesmo numa cidade tão dependente do turismo. Eis algumas sugestões:

1 dia em Petra, Jordânia – Petra by Night

Ora aqui está um tema nada consensual!

Alimentado pelo poder das redes sociais, o evento Petra by Night, no qual parte do recinto é iluminado à luz das velas, tornou-se nos últimos anos a nova coqueluche de Petra e o “evento a não perder”.

No entanto, por mais atmosférico que seja o ambiente que as fotos deixam transparecer, a realidade é que a crítica está longe de ser unânime. Uns adoram, outros acham que não vale a pena o incremento ao preço do bilhete. Pessoalmente, posso partilhar que optei por não participar no evento, pelo que não posso dar feedback do mesmo.

Seja como for, é perfeitamente possível ver Petra em 1 dia e regressar pela noite para assistir ao Petra by Night. O custo do evento é de 17 JOD (22€) e tem lugar às segundas, quartas e quintas, partindo do Visitor Center às 20h30 e regressando ao mesmo local pelas 22h30. Não é necessário marcares o teu lugar com antecedência, sendo apenas obrigatória a apresentação do teu bilhete diário para que te seja permitida a compra do suplemento.

P.S. Felizmente, o meu excelentíssimo colega João sacrificou-se por todos nós e foi ao Petra By Night, incentivado pela sua senhora. O veredito de ambos é é, e passo a citar: “Meh. Guardem o dinheiro ou gastem em hummus e falafel”.

O que visitar em 1 dia em Petra, Jordânia

Momento da verdade!

Embora não seja de facto possível visitar Petra inteira em 1 dia, acredito firmemente que os principais pontos do complexo são perfeitamente exequíveis num dia. A título particular, posso partilhar que este foi precisamente (sem tirar, nem por) o roteiro que percorri.

Assim, e sem mais demoras, aqui estão os marcos turísticos que quererás ver se visitares Petra em 1 dia:

Desfiladeiro Siq

Tudo começa no The Siq. Assim que passas a bilheteira e entras no complexo, bastar-te-á caminhares uns 5/10 minutos até o caminho estreitar por entre este emblemático desfiladeiro. Considerada a principal entrada da antiga cidade, esta falha natural na rocha foi causada por um desequilíbrio de forças nas placas tectónicas da área.

Era por aqui que as longas caravanas entravam rumo à cidade, percorrendo a totalidade da sua extensão de 1.2km por entre o trilho sinuoso do desfiladeiro. Chegado ao final, colherás a merecida recompensa, com uma daquelas vistas que aparecem em milhares de cartões-postais todos os anos.

E falando nela….

O Edifício do Tesouro – The Treasury (Al Khazneh)

No final do Siq, o desfiladeiro estreito dá lugar a uma praça aberta onde encontrarás o Edifício do Tesouro, conhecido mundialmente pela sua designação inglesa: The Treasury (Al Khazneh, em árabe). Esta é a fachada que todos querem ver e a que todos fotografam. Aliás, se pesquisares neste momento por “Petra” no Google, a probabilidade de que te surja uma imagem do Treasury é bastante elevada. Afinal, é esta a imagem de marca de todo o complexo!

Curiosamente, e fruto da azáfama que toda a gente faz à volta deste local, quase fiquei desiludido com o que vi. Claro que é um edifício impressionante, mas todo o circo montado à sua frente, com filas de turistas para tirar fotos em locais específicos, dezenas de tratadores a impingirem viagens de burro em troca de uma nota ou vendedores a comercializarem as suas bugigangas acabam por afectar a atmosfera do local. A boa notícia? Basta caminhar 3 minutos em direcção ao nosso próximo ponto e a multidão praticamente desaparece!

Rua das Fachadas

A caminho do Teatro Nabateu, o trajecto de gravilha e terra batida leva-te pela Rua das Fachadas, um percurso flanqueado por vários rochedos nos quais estão esculpidos dezenas de túmulos.

À tua direita, os túmulos são significativamente maiores e mais trabalhados, destinados a figuras de poder e relevo. À esquerda, são praticamente buracos cravados directamente no precipício que, quando vistos em perspectiva, se assemelham a um conjunto infindável de janelas extremamente pitoresco.

Especula-se também que algumas destas cavernas fossem utilizadas como habitações.

Teatro Nabateu

Também conhecido como o Teatro de Petra, este anfiteatro chegou, no seu auge, a ter capacidade suficiente para albergar cerca de 8500 pessoas! Um feito a celebrar, considerando que se estima ter sido construído há mais de 2000 anos.

Tal como praticamente todos os restantes edifícios, também o Teatro Nabateu foi esculpido directamente na pedra, com cada degrau e detalhe a exigir um esforço e dedicação ímpares. Os únicos elementos que fogem à regra são a parede exterior e o palco, construídos à posteriori, e, no caso da primeira, já sob influência do domínio romano.

Túmulos Reais

Um pouco mais à frente, num pequeno promontório e em plano elevado face ao restante complexo, poderás encontrar os Túmulos Reais, o conjunto de mausoléus mais majestosos e detalhados. Para além disso, e ao contrário do que acontece com o Edifício do Tesouro e com o Mosteiro (já lá iremos), as suas entradas não estão vedadas, permitindo-te ver o seu interior e as corres berrantes causadas pelo impacto da passagem do tempo na pedra.

Contudo, e conforme já referi anteriormente, não existem registos do funcionamento e história da sociedade nabateia, e por isso é impossível afirmar que estes túmulos pertenciam efectivamente a reis/governadores, ou se serviram sequer como mausoléus para os corpos de alguém. Especulação à parte, estes são os Túmulos Reais que poderás visitar:

  • Túmulo da Urna
  • Túmulo de Seda
  • Túmulo Coríntio
  • Túmulo do Palácio

Rua Colunada

Descendo o promontório e regressando ao “piso inferior”, entramos numa área bastante particular, onde os romanos contruíram a esmagadora maioria das suas estruturas após tomarem controlo da cidade.

Como tal, esta secção não apresenta túmulos ou edifícios cravados em pedra, nem outros aspectos típicos do que viste até aqui. Apesar de uma grande parte estar já em destroços, é ainda possível ver templos, colunas e ruínas, construídas num estilo que podes reconhecer em muitos locais espalhados pela bacia do Mediterrâneo.

Para lá chegares, terás então que percorrer a Rua Colunada, uma via em calçada ladeada por várias colunas (daí o nome) e que te levará ao próximo ponto do nosso itinerário. Apesar de associada aos romanos, foi na realidade uma renovação de uma rua nabateia já existente. Diz-se também que era ao longo desta artéria que se organizava o principal mercado da cidade.

O Grande Templo

No final da Rua Colunada, chegamos então ao último ponto da nossa visita, antes da dura subida vertiginosa ao Edifício do Mosteiro. Situado bem antes do Qasr al-Bint, outro edifício religioso que também merece uma passagem rápida, o Grande Templo era a principal estrutura de culto/veneração em Petra.

Contudo, é impossível identificar ao certo a que divindades o templo foi dedicado, ou que tipo de cerimónias eram lá conduzidas. No meio de tanta dúvida, existem até historiadores que acreditam que o Grande Templo nunca se tratou de um edifício religioso, mas sim administrativo.

Nunca saberemos a verdade, mas o que quer que seja, deixou um belo conjunto de ruínas como herança!

O Edifício do Mosteiro – The Monastery (Ad Deir)

Finalmente, fechamos o dia com aquele que foi o meu lugar preferido em toda a Petra. Se dizem que as melhores recompensas se seguem a grandes esforços, então o Edifício do Mosteiro (The Monastery, em inglês; ou Ad Deir, em árabe) é a prova real de que esse lema não pode ser refutado.

Considerado um dos edifícios mais impressionantes em todo o complexo, o Mosteiro é uma construção absolutamente monumental e – uma vez mais – totalmente cravada num gigantesco rochedo. O grande problema? Para lá chegar terás que percorrer um caminho de cerca de 45 minutos que obrigará a subir mais de 800 degraus! É duro, mas assim que chegas lá acima e te deparas com algo desta magnitude, é impossível não esquecer, nem que seja por breves momentos, todo o esforço empreendido.

Para além do Mosteiro, esta área esta também repleta de miradouros que te irão proporcionar algumas das melhores vistas em toda a Jordânia.

Seguro de Viagem

Para contratar o teu seguro de viagem, aconselhamos a IATI, com uma excelente gama de seguros, incluíndo aquela que é, provavelmente, a melhor cobertura Covid-19 do mercado. 

Se reservares connosco, através deste link, tens 5% de desconto no teu seguro e, ao mesmo tempo, dás-nos uma ajuda preciosa 🙂

Consulta do Viajante

Aconselhamos a marcar a tua consulta na Consulta do Viajante Online. Insere o código flamingo para teres 5% de desconto em consultas para 2 ou mais pessoas.

Tours & Atividades

Reserva já os teus tours ou atividades no Viator, do grupo Tripadvisor! E ao fazê-lo estás-nos a dar uma grande ajuda 🙂

Queres receber notificações acerca de novas ofertas?

Regista-te e decide a frequência de envio. Não vamos enviar spam!

Sugestões de viagem