Guia de viagem de Milão 🇮🇹 🍕 – Roteiro de 2 dias + 1 dia no Lago Di Como

  • 13.01.2023 17:40
  • Bruno A.

Guia de viagem completo com tudo o que fazer em Milão. Inclui informações acerca de hotéis, restaurantes e transportes entre aeroportos e cidade, bem como um roteiro completo de 2 dias em Milão, com direito a uma day-trip ao Lago de Como.

Queres receber notificações acerca de novas ofertas?

Regista-te e decide a frequência de envio. Não vamos enviar spam!

Embora esteja longe de ser uma das cidades mais belas de Itália, Milão goza de uma localização extremamente privilegiada, bem no norte da famosa “bota”, e a uma distância relativamente próxima das fronteiras italianas com França, Suíça e Áustria. Se aliarmos a isso o facto da principal cidade da Lombardia ser a capital italiana da moda e do tecido empresarial, é fácil perceber o porquê de ser servida por dois aeroportos a partir dos quais é possível voar para praticamente qualquer lugar do mundo.

Assim, um dos motivos pelos quais Milão é tão popular entre o mercado português prende-se com o facto de ser um dos destinos com voos mais baratos a partir de Portugal. E isto está longe ser um exclusivo do nosso país. Considerando os três principais aeroportos da cidade, existem quase 300 ligações a outras cidades europeias, do Norte de África ou do Médio Oriente SÓ através de companhias low-cost!

Assim sendo, se tens voo marcado para Milão, seja para uma escala breve, como ponto de partida para uma aventura em terras transalpinas ou (e porque não?) apenas para uma escapadinha milanesa, queremos mostrar-te que esta é uma cidade que vale bem a pena ser explorada. Posto isto, convidamos-te a ler o nosso guia de viagem de Milão e descobrir o que de melhor a cidade tem para oferecer, incluindo hotéis, restaurantes, dicas de segurança e ainda um roteiro completo de 3 dias com tudo o que deves fazer e visitar em Milão.

O que fazer em Milão – Guia de Viagem

Como chegar a Milão – Voos desde Portugal

Conforme mencionámos acima, Milão é uma cidade extremamente bem conectada, sendo servida por 3 aeroportos diferentes: Milão-Malpensa, Bérgamo e Linate (o único dos 3 sem voos directos para Portugal).

Assim, é possível voar directamente de Portugal para os diferentes aeroportos Milaneses através das seguintes cidades

  • Milão-Malpensa
    • Lisboa (Easyjet e TAP)
    • Porto (Easyjet, Ryanair)
    • Faro (Easyjet)
    • Funchal (Easyjet)
  • Milão Bérgamo
    • Lisboa (Easyjet e Ryanair)
    • Porto (Ryanair)
    • Faro (Ryanair)
    • Funchal (Ryanair)

Melhor altura para visitar Milão

À semelhança de outros destinos europeus situados longe da costa, a melhor altura para visitar Milão coincide com a chamada “shoulder-season”, normalmente correspondente aos meses de Primavera e Outono. Embora estes meses sejam mais propensos ao aparecimento de aguaceiros, esta ínfima possibilidade continua a ser um mal menor quando comparada com as temperaturas extremas do resto do ano.

Desengana-te se pensas que Milão – por si só – pode ser um excelente destino de Verão. Por esta altura as temperaturas na cidade chegam a roçar o tórrido, não sendo incomum assistir a dias em que os termómetros chegam aos 40ºC! Pela via contrária, o Inverno costuma ser frio e muito seco, com as mínimas a atingirem temperaturas negativas. Seja como for, e em ambos os casos, é sempre possível desfrutar de Milão, desde que te prepares da melhor forma.

Documentos necessários para a tua viagem a Milão

Uma vez que continuarás dentro da União Europeia, não te é exigida a apresentação de passaporte para poderes viajar, bastando apenas que estejas na posse de cartão de cidadão válido.

Descobre mais: Vais viajar e tens o Passaporte ou Cartão de Cidadão caducado ou perdido? Vê aqui o que podes fazer

Cartão SIM em Milão – Roaming em viagem

Estando o país vinculado às regras de roaming da UE, não te será cobrada qualquer taxa de roaming durante a tua visita a Milão.

Assim sendo, poderás simplesmente utilizar o teu cartão (quase) como se estivesses em Portugal (os dados das apps que as operadoras portuguesas contam num plafond separado, passam a contar para o teu plafond principal de dados. Isto significa que se tiveres 5GB de dados + 15GB para apps, enquanto estiveres em Milão esses dados vão ser retirados aos 5GB e não aos 15GB).

Como levantar dinheiro durante numa viagem a Milão – Taxas bancárias e orçamento de viagem

Uma vez que a Itália faz parte da Zona Euro, o conjunto de países onde é utilizada a moeda única, poderás utilizar o teu cartão de crédito/débito português para fazer levantamentos e pagamentos no destino sem que te seja cobrada qualquer taxa de conversão.

Assim sendo, terás apenas que ter em atenção potenciais taxas cobradas pelo banco emissor da própria caixa automática onde fizeres o levantamento. Contudo, e sempre que haja lugar ao pagamento de qualquer comissão deste tipo, essa informação é descortinada antes de confirmares o levantamento, o que significa que podes sempre cancelá-lo e procurar outra caixa. Tem especial atenção às caixas da Euronet, que cobram uma comissão fixa por levantamento com cartão estrangeiro.

Por outro lado, se precisas de ajuda a manter o orçamento de viagem sob controlo, recomendamos neste guia de viagem de Milão a utilização do cartão Revolut. Ainda que neste país não possas usufruir da principal vantagem deste produto – levantamentos em moeda estrangeira sem taxas de conversão – continua ainda assim a ser uma ferramenta útil.

Através da aplicação do banco online, terás acesso imediato a todos os gastos e ao saldo da tua conta, monitorizando assim os teus gastos diários. Para além disso, poderás carregar o cartão apenas com o valor que esperas gastar (por dia ou na viagem), evitando assim que gastes mais do que aquilo que esperavas e limitando também o valor que podes perder em caso de roubo ou fraude.

Descobre mais: Dicas para viajantes: Tudo que precisas de saber sobre o Cartão Revolut

Segurança em Milão – Esquemas e burlas mais comuns em Milão

Fazendo jus ao seu estatuto de capital económica e financeira do país, Milão é uma cidade extremamente segura. Uma vez que a metrópole não está tão dependente do turismo quanto algumas das suas congéneres mais a sul, os níveis de esquemas e burlas apontadas especificamente a turistas é substancialmente menor.

Assim sendo, bastar-te-á utilizar apenas o senso comum e não terás problemas de maior em Milão. Cuidado com os veículos sem taxímetro, nada de mostrar os teus pertences ou carteira de forma espampanante em zonas movimentadas e nunca aceites ajudas de ninguém quando estiveres a utilizar o multibanco. No fundo, não faças nada que não farias em nenhuma outra cidade do mundo!

Apenas recomendamos cuidados redobrados junto à estação de comboios de Milão e na Piazza del Duomo, onde é mais provável que tentem, de alguma forma, enganar-te. Nesta última zona, se algum vendedor de rua te colocar milho na mão para atrair os pombos ou te pousar uma pulseira no braço ou no ombro, simplesmente ignora e segue em frente, ou agradece ao mesmo tempo que rejeitas com firmeza. Em ambos os casos, pedir-te-ão dinheiro pelo serviço/bem. No caso da pulseira, e se o vendedor for especialmente insistente, pousa a peça no chão e prossegue a tua marcha. Ele acabará por desistir.

Também junto a estas zonas mais turísticas, tem especial cuidado com os menus dos cafés/restaurantes. Embora estes casos sejam raros, existem vários relatos online de clientes que fizeram os seus pedidos com base nas sugestões do empregado e sem consultar o menu, acabando com uma desagradável surpresa ao ver a conta.

Onde dormir em Milão – Hotéis e Alojamentos

Embora Milão nunca tenha sido exactamente uma cidade barata, os últimos anos viram os alojamentos da cidade tornarem-se especialmente caros. E se ficar em pleno centro de Milão por um valor aceitável é já uma missão quase impossível, é cada vez maior o número de turistas que se vê já obrigado a dormir nos subúrbios mais longínquos para manter o orçamento sob controlo.

Posto isto, e se estás a priorizar a busca de um sítio para dormir antes de procurares o que fazer em Milão, deixamos-te uma sugestão para cada categoria de classificação:

Nota: Se usares os links acima para fazer as reservas do teu alojamento, estás-nos a dar uma ajuda preciosa sem pagar mais por isso 🙂

Transporte entre os aeroportos de Malpensa/Bérgamo e o centro de Milão

Como ir do Aeroporto Malpensa ao centro de Milão:

  • Comboio
    • Destino: Estação Milano Cadorna ou Milano Centrale
    • Duração: 37 minutos até Milano Cadorna e 51 minutos até Milano Centrale
    • Preço: 13€
    • Frequência: Cada 30 minutos
    • Compra de bilhetes: Malpensa Express ou Trenitalia
  • Autocarro Shuttle
    • Duração: 50 minutos
    • Preço: 10€ ida (ou 16€ ida-e-volta)
    • Frequência: Entre 20 a 40 minutos de espera, dependendo da altura do dia
    • Destino: Estação de Comboios Milano Centrale
    • Compra de bilhetes: Autostradale ou Terravision

Como ir do Aeroporto Bérgamo ao centro de Milão:

  • Autocarro Shuttle
    • Duração: 1 hora
    • Preço: 10€ ida (ou 18€ ida-e-volta)
    • Frequência: Cada 30 minutos (excepção: intervalo de 2h40 entre as 03h00 e as 05h40)
    • Destino: Estação de Comboios Milano Centrale
    • Compra de bilhetes: Autostradale ou Terravision

Alternativamente, é também possível fazer uma combinação de autocarro público + comboio para chegar à Estação de Comboios Milano Centrale. Para isso, é necessário apanhar o autocarro à saída do terminal de chegadas (partida a cada 20 minutos, entre as 05h00 e a meia-noite) que te levará até ao centro de Bérgamo. A viagem tem a duração de cerca de 15-20 minutos e o custo de 2,60€, sendo o bilhete comprado directamente ao motorista. Chegado à estação de comboios de Bérgamo, poderás apanhar um comboio para a Milano Centrale (uma vez mais, podes comprar online através da Trenitalia). Os comboios directos entre as duas estações partem de Bérgamo a cada hora, tendo o custo de 5,80€. A viagem tem a duração de 50 minutos.

Guia de Milão – Transportes públicos de Milão

Considerando que estamos a falar da segunda maior cidade de Itália, não surpreende que Milão seja servida por uma rede relativamente vasta de transportes públicos. No seguimento do que falei acima – acerca dos preços proibitivos do centro de Milão – diria até que é bastante provável que tenhas que usar esses mesmos transportes durante a tua estadia na cidade.

Assim sendo, iremos aproveitar esta secção do nosso guia de viagem de Milão para te explicar como utilizar o metropolitano da cidade. Afinal, de nada adianta procurares o que fazer em Milão se não souberes como lá chegar! 😊

Antes de tudo o resto, convém mencionar que o metro de Milão é formado por 4 linhas diferentes, sendo que está actualmente em construção uma 5ª linha, cuja inauguração total está programada para o corrente ano de 2023 (4 paragens já estão em funcionamento desde Novembro de 2022).

O metro opera todos os dias, entre as 05h30 e as 00h30, abrindo o serviço apenas uma hora mais tarde (06h30) aos Domingos.

Metro de Milão – Bilhetes

Relativamente aos bilhetes de metro, poderás optar por uma das seguintes categorias, consoante as tua necessidades e previsão de utilização:

  • Bilhete único (single) – válido durante 90 minutos, permite-te fazer as viagens que quiseres desde que esse limite de tempo seja cumprido. Preço: 2,20€
  • Bilhetes diários – Passe diário de 1 ou 3 dias, permitindo-te fazer todas as viagens que queiras, de forma ilimitada, durante o período de vigência. Preços: 7,60€ (1 dia) ou 13,00€ (3 dias)
  • Caderneta de 10 viagens – Conjunto de 10 bilhetes single. Preço: 19,50€
  • Milano Card – Passe turístico de 1, 2 ou 3 dias, permitindo-te fazer todas as viagens que queiras, de forma ilimitada, durante o período de vigência. Inclui ainda entrada gratuita ou admissão com desconto em várias atracções da cidade. Podes consultar todos os benefícios aqui. Preços: 12,50€ (1 dia), 17,50€ (2 dias) ou 19,50€ (3 dias).

Como nota final, mas certamente não menos importante, tem atenção que todos os bilhetes deverão ser validados antes da tua viagem, caso contrário podes ver-te a vias com uma multa desnecessária.

Onde comer em Milão – Restaurantes baratos

Seja como for, e tão importante quanto procurar o que fazer em Milão ou onde dormir, é igualmente imperativo que saibas onde confortar o estômago. Especialmente quando falamos de Itália, terra de um dos cenários gastronómicos mais adorados do mundo, esta questão ganha ainda maior relevo!

Começando com as más notícias, e olhando para o portal Numbeo, a realidade é que comer fora em Milão está também cada vez mais caro, estimando-se que uma refeição que possa ser considerada “barata” esteja já na casa dos 20€. Já se estiveres na disposição de subir a parada e procurar um restaurante intermédio, com direito a entrada, prato principal e sobremesa, a tua contará deverá rondar os 40€/pax.

Posto isto, e porque somos teus amigos, compilámos uma respeitosa lista de restaurantes em Milão onde te será possível comer “barato” (bem, pelo menos de acordo com os standards da cidade!):

  • Piz (Pizza – 6/7 minutos a pé da Praça do Duomo)
  • Panzerotti Luini (mini-calzone e outros snacks – perto da praça do Duomo)
  • Pizzium (pizza – ao lado da estação de metro Wagner)
  • Pizza AM (pizza – ao lado da estação de metro Crocetta)
  • Fratelli Torcinelli (tradicional italiano – quarteirão de Ticinese)
  • Trattoria Da Pino (tradicional italiano – junto à Igreja de San Bernardino alle Ossa)
  • Pescetto (peixe e mariscos – perto do Parco Sempione)
  • Pasta d’Autore (pasta – junto à Basílica de San Lorenzo Maggiore)
  • Miscusi (pasta – várias localizações, por exemplo, junto à Estação Central e junto à Basílica de San Lorenzo Maggiore -)
  • Ravioleria Sarpi (ravioli e dumplings chineses – situado em plena Chinatown)
  • Gelateria Paganelli (gelato – perta da estação de comboios Repubblica)

Tesouros Escondidos da cidade de Milão

Com 3 dias em Milão, e mesmo ressalvando que um destes dias será passado fora da cidade em day trip, é mais que possível passar a fio as principais atracções milanesas.

Não obstante, e porque acreditamos que um bom turista deve sempre ser capaz de espreitar por detrás da cortina, tomámos a liberdade de mencionar alguns sítios menos óbvios que deverás juntar à tua lista de coisas para ver e fazer em Milão:

  • Basílica de San Vittore al Corpo
  • Villa Invernizzi
  • Vigna Leonardo
  • Igreja de San Bernardino alle Ossa
  • Cemitério Monumental
  • Igreja de San Maurizio al Monastero Maggiore

Roteiro de 2 dias em Milão + 1 dia no Lago di Como

Apesar de ser possível visitar os principais pontos turísticos da cidade em menos tempo, acreditámos que 2 dias é o tempo ideal que deves dedicar à cidade de Milão. Com 72 horas, poderás explorar devidamente a cidade, e ainda dedicar um dia inteiro a explorar uma das muitas opções de day trips disponíveis.

 À parte do que a própria cidade tem para oferecer, uma das grandes vantagens de Milão passa precisamente pela sua localização e facilidade de acessos, permitindo-te chegar a algumas das melhores cidades do norte de Itália no período máximo de 3 horas.

O que fazer em Milão: Dia 1 – Arte, Moda e Catolicismo

Para o teu dia inaugural em Milão, recomendamos que explores os locais mais famosos da cidade, com especial destaque para o centro histórico. Contudo, e antes de lá chegarmos, o dia principia com uma visita a um dos tesouros escondidos da metrópole milanesa: o Santuário di San Bernardino alle Ossa. Aquilo que poderia à primeira vista parecer apenas mais uma das muitas igrejas da cidade, esconde entre as suas paredes uma pequena capela que serve de ossuário. Fun fact: foi depois de uma visita a esta exacta igreja que o Rei D. João V decidiu mandar construir a Capela dos Ossos, em Évora.

Agora sim, irás entrar na Milão dos cartões-postais! E para isso, nada melhor que pisar a magnífica Piazza del Duomo e admirar o Duomo de Milão (7€, apenas catedral) em todo o seu esplendor. Considerada a principal atracção e símbolo da cidade, é possível visitar o gigantesco edifício religioso e até subir ao terraço para desfrutar de uma das melhores vistas de toda a cidade (15€ entrada + acesso ao terraço). Passando da religião às compras e moda, é tempo de entrar na Galeria Vittorio Emanuele II, uma das arcadas comerciais mais belas e famosas do mundo. Apesar de todo e qualquer preço praticado neste espaço ser restrito à maioria dos comuns dos mortais, percorrer as galerias e apreciar a sua admirável arquitectura não custa um único cêntimo! Chegado ao final da galeria, encontrarás uma adorável praceta que esconde o Teatro alla Scala (25€, visita guiada). Apesar da sua fachada insuspeita e humilde, esta é na realidade uma das óperas mais fabulosas e reputadas em todo o planeta, e um local de eleição onde actuaram artistas como Pavarotti e estrearam peças nomes clássicos como Verdi e Bellini. Se preferires, podes ainda tentar comprar bilhetes onlines para um espectáculo. Se adquiridos com a devida antecedência, e dependendo das datas e nomes em cartaz, a experiência pode até acabar por sair a um preço semelhante ao do tour guiado.

Após a visita à ópera, segue-se uma passagem na Pinacoteca di Brera (15€), a instalação de arte mais renomada de Milão. Instalado dentro de um palácio do século XVII, este museu tem em exibição uma das colecções mais extensivas de quadros italianos do país, englobando um período temporal de cerca de 700 anos. Prossegue até ao Parque Sempione, o principal da cidade, onde poderás encontrar outros marcos turísticos de Milão, como o Arco della Pace ou o Castelo Sforzesco. Hoje em dia, este último é considerado uma das maiores cidadelas da Europa, albergando um conjunto de quase uma dezena de museus dentro das suas instalações. Felizmente, a entrada no recinto é totalmente gratuita. Para terminar o dia da forma mais incomum possível, dá um passeio até ao Cemitério Monumental e explora as suas tumbas artísticas, mausoléus ornamentados e esculturas decorativas.

Resumo do 1º dia:

  • Santuário di San Bernardino alle Ossa
  • Duomo de Milão
  • Galeria Vittorio Emanuele II
  • Teatro alla Scala
  • Pinacoteca di Brera
  • Parque Sempione
  • Arco della Pace
  • Castelo Sforzesco
  • Cemitério Monumental

O que fazer em Milão: Dia 2 – Leonardo e os Canais de Navigli

Para o teu último dia de visita a Milão (lembra-te – o terceiro será passado em excursão), irás progressivamente afastar-te do centro e explorar outras zonas da cidade. Não obstante, este dia começará exactamente como o anterior, visitando uma igreja histórica. Desta feita, será a vez da Igreja de San Maurizio al Monastero Maggiore. Conhecida como “A Capela Sistina de Milão”, os frescos desta igreja são absolutamente inacreditáveis, e muito bem capazes de rivalizar com a obra-prima de Miguel Ângelo (com o bónus de não estar atolada de outros turistas).

Depois, é tempo de visitar aquele que será – possivelmente – a segunda maior atracção da cidade. Situada dentro do Convento de Santa Maria delle Grazie, poderás ver com os teus próprios olhos o original de Leonardo e uma das pinturas mais icónicas da história: “A Última Ceia” (15€). Tendo em conta os esforços de preservação da obra, apenas um número limitado de visitantes pode entrar diariamente no mesmo hall onde o mural está exposto. Por essa razão, deverás reservar o teu bilhete online com a maior antecedência possível (máximo 3 meses). Bem próximo do convento, aproveita ainda para visitar a Vinha de Leonardo (10€), uma pequena plantação vinícola oferecida ao lendário artista pelo Duque de Milão como agradecimento pela criação da sua obra mais famosa.

No teu caminho até Navigli, o ponto alto da tua tarde, aproveita ainda para visitar a Basílica di San Vittore al Corpo, uma das mais belas e desconhecidas da cidade, bem como a Basílica de Santo Ambrósio, esta já bem mais estabelecida no roteiro turístico de muitos dos visitantes. Após uma caminhada de mais 2km a partir desta última, chegarás então finalmente a Navigli, o quarteirão mais pitoresco de Milão. Situado na intersecção de 2 canais medievais, este distrito vive num mundo completamente à parte da restante realidade milanesa, com os edifícios altos e ornamentados a darem lugar a casinhas pequenas e coloridas, saídas da arquitectura típica de paragens mais a leste.

Para terminar o dia, e para os aficionados do Desporto-Rei, não pode faltar uma visita ao Estádio Giuseppe Meazza (30€/tour). Também conhecido por San Siro, dependendo da equipa local (Inter ou AC Milan) com que mais simpatizes, é um dos grandes templos do futebol europeu. Tendo em conta o avultado preço dos tours, comprar bilhetes para assistir a um jogo torna-se uma opção ainda mais apelativa!

Resumo do 2º dia:

  • Igreja de San Maurizio al Monastero Maggiore
  • Convento de Santa Maria delle Grazie
  • A Última Ceia
  • Vinha de Leonardo
  • Basílica di San Vittore al Corpo
  • Basílica de Santo Ambrósio
  • Navigli
  • Giuseppe Meazza/San Siro

O que fazer em Milão: Dia 3 – Day Trip ao Lago de Como

Chegado ao terceiro e última dia da tua escapadinha, e conforme prometido, é tempo de sair de Milão por umas boas horas. Felizmente, o que não faltam são boas opções de locais para visitar durante um dia a partir de Milão, com locais como Bérgamo, Verona, Brescia, Turim, Bolonha e até Veneza (pouco prático, mas possível) à cabeça. No entanto, acreditamos que nenhum outro local constitui uma day trip tão boa a partir de Milão quanto o magnífico Lago de Como.

Felizmente, a viagem entre Milão e o lago é extremamente fácil e intuitiva, bastando para isso comprares o teu bilhete online no website da Trenitalia ou da Trenord. A nossa recomendação, até para evitar que andes em círculos, é que faças à ida a viagem entre Milano Centrale e Varenna-Esino (7,10€, 1 hora de viagem, com a Trenitalia), e depois no regresso o troço entre Como S. Giovanni e Milano Centrale (entre 5€ e 10,90€, 45 minutos, com a Trenitalia) ou Como Lago e Milano Cadorna (5€, 1 hora, com a Trenord).

Embora existam várias vilas pitorescas espalhadas um pouco por toda a margem do lago, há três em particular que tens MESMO que visitar: Como, Bellagio e Varena. A melhor maneira de te deslocares por entre estas vilas passa por recorrer aos vários ferries públicos que passam o dia inteiro a percorrer o lago. Uma excelente combinação de travessia e turismo, uma vez que estas viagens de ferry te permitem desfrutar de vistas fenomenais de vários pontos do lago. Assim, e de acordo com o teu trajecto estipulado, terás que fazer duas viagens de ferry diferentes:

  • Varenna-Bellagio: 4,60€
  • Bellagio-Como: 10,40€

 Mais do que andar a saltitar de atracção em atracção, neste dia querer-te-ás perder por entre as ruelas destas vilas, fotografar todos os cantos e vistas adoráveis e apreciar as viagens pelas águas da pintura em movimento que é o Lago de Como.

Resumo do 3º dia:

  • Lago de Como
  • Varenna
  • Bellagio
  • Como

Onde comer no Lago di Como

E damos assim por terminado o nosso guia de viagem com tudo o que deves fazer em Milão! Esperamos que te seja útil na próxima escapadinha à capital italiana da moda!

Seguro de Viagem

Para contratar o teu seguro de viagem, aconselhamos a IATI, com uma excelente gama de seguros, incluíndo aquela que é, provavelmente, a melhor cobertura do mercado. 

Se reservares connosco, através deste link, tens 5% de desconto no teu seguro e, ao mesmo tempo, dás-nos uma ajuda preciosa 🙂

Consulta do Viajante

Aconselhamos a marcar a tua consulta na Consulta do Viajante Online. Insere o código flamingo para teres 5% de desconto em consultas para 2 ou mais pessoas.

Tours & Atividades

Reserva já os teus tours ou atividades no Viator, do grupo Tripadvisor! E ao fazê-lo estás-nos a dar uma grande ajuda 🙂

Queres receber notificações acerca de novas ofertas?

Regista-te e decide a frequência de envio. Não vamos enviar spam!

Sugestões de viagem